Miramax obriga Mel Gibson a rebatizar seu filme

Continua o calvário de Mel Gibson. Desde que decidiu levar às telas uma versão polêmica e sanguinolenta das últimas 12 horas de Jesus Cristo, o ator já enfrentou diversos protestos de religiosos e recusas de distribuidoras. Agora, teve de mudar o nome do filme: era A Paixão,virou A Paixão de Cristo. Isso porque a Miramax reclamou os direitos do título original, tirado de um romance histórico de Jeanett Winterson. A Paixão de Cristo traz Jim Caviezel como Jesus e Monica Bellucci no papel de Maria Madalena, com falas de latim, aramaico e hebraico.Acusado de culpar os judeus pela morte de Cristo, o filme tem enfrentado resistência de setores religiosos, repercutindo sobre sua aceitação no setor de distribuição. Gibson, tido como católico fervoroso, bancou do próprio bolso o filme, que deve estrear no primeiro semestre do ano que vem. Depois de concluir seu projeto autoral, deve voltar aos cinemas no papel que o projetou, em 1979, o furioso e vingativo Mad Max, em eterna luta contra gangues do deserto da Austrália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.