Ministério da Cultura lança concurso de documentário

A Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e a Fundação Cultural Palmares (também órgão do ministério) estão lançando o Concurso de Apoio à Realização de Projetos Audiovisuais de Documentários Inéditos, que contemplará 13 projetos com um prêmio de R$ 80 mil cada um para a realização de documentários de 52 minutos. O montante que o ministério investirá nesta edição do concurso é de cerca de R$ 1 milhão.As inscrições estão abertas até o dia 21 de setembro e só serão aceitas as propostas postadas até essa data. Neste ano, a novidade é que a cultura afro-brasileira será um dos temas dos projetos selecionados. A arte, a história e a experiência contemporânea do povo negro são alguns dos tópicos que podem ser abordados dentro desse tema. Os outros são o patrimônio histórico artístico e cultural do País (como suas cidades históricas), a música popular e erudita, artes cênicas (teatro, dança, ópera e circo), festas regionais, cultura indígena e literatura brasileira.Os interessados em desenvolver projetos sobre a cultura afro-brasileira podem enviar suas propostas diretamente à Fundação Cultural Palmares, que ficará encarregada de fazer uma pré-seleção. O endereço da Fundação Cultural Palmares é Diretoria de Estudos Pesquisas e Projetos (Setor bancário norte, QD 02 - 1.º subsolo - Edifício Central Brasília, CEP 70.040-904, Brasília, DF). Os demais devem ser enviados ao Ministério da Cultura e duas delegacias.Depois, a Comissão Especial de Seleção, constituída pela Secretaria do Audiovisual, selecionará os 13 projetos, dentre estes, 3 sobre a cultura afro-brasileira. A comissão será formada pelo presidente da Fundação Palmares, Carlos Alves Moura ou um representante, e 15 especialistas na área cinematográfica. Além do tema cultura afro-brasileira, o concurso abre espaço para os concorrentes estreantes. Serão contemplados três projetos de iniciantes. "Queremos revelar talentos e também sabemos que o documentário é o início de muitas carreiras", diz o secretário do Audiovisual, José Álvaro Moisés.A seleção dos projetos será feita em três etapas: na primeira serão classificados 40 projetos, na segunda, 30 projetos e, na etapa final, os 13 que receberão prêmio em dinheiro. A inclusão do tema cultura afro-brasileira é uma maneira de fazer uma homenagem e também despertar discussões sobre o problema das relações raciais. "Nossa sensibilidade é diferente da cultura anglo-saxã. Por isso, a proposta é revelar os valores negros, uma medida de combater o racismo", afirma Carlos Alves Moura.O Ministério da Cultura também vai assinar um contrato com a TV Cultura e Arte para a exibição dos documentários que forem realizados com os recursos adquiridos com o concurso.

Agencia Estado,

09 de agosto de 2001 | 15h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.