Reuters
Reuters

Mila Kunis denuncia sexismo em Hollywood

Em carta aberta, atriz diz ter sido ameaçada de perder o emprego caso recusasse posar seminua para capa de revista masculina

EFE

03 de novembro de 2016 | 10h12

A atriz Mila Kunis denunciou o sexismo em Hollywood por meio de uma carta pública em que detalhou algumas atitudes machistas que tem sofrido ao longo de sua carreira.

A atriz de Cisne Negro (2010) e Ted (2012) denunciou que, em uma ocasião, um produtor a ameaçou de não voltar a trabalhar em Hollywood se não aparecesse seminua na capa de uma revista para homens, para promover um filme.

A atriz acrescentou que ao longo de sua carreira viveu momentos em que foi "insultada, marginalizada, recebendo salário menor, ignorada e subestimada" simplesmente por ser mulher.

Mila deu outro exemplo. Ela disse que foi vítima de uma "micro agressão " por parte de um produtor influente, depois de ter montado uma produtora com outras três mulheres. Durante a discussão de um projeto de trabalho, ele disse que "agora que eu era a mulher de Ashton, seria mãe de um bebê. Ele reduziu o meu valor a não mais do que a minha relação com um homem bem-sucedido e à minha capacidade para gerar filhos”, recorda.

Tudo o que sabemos sobre:
HollywoodCinemaFeminismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.