Mickey Rourke consolida volta por cima com conquista do Bafta

Mickey Rourke venceu mais um round em sua luta para dar a volta por cima quando recebeu o troféu de melhor ator no Bafta, o Oscar do cinema britânico, por sua atuação em "O Lutador". O ator ainda não abandonou por completo seus modos de "bad boy" -- soltou palavrões durante seu discurso de aceitação do prêmio, na noite de domingo, e fumou um cigarro enquanto percorria o tapete vermelho diante do Royal Opera House de Londres, antes da cerimônia. Mas ele reconheceu que o prêmio faz parte de seu processo de emergir "da obscuridade". Mickey Rourke já ganhou um Globo de Ouro e é candidato ao Oscar por seu retrato de um lutador decadente que se esforça para continuar em ação enquanto combate seus demônios pessoais. O papel possui correlação forte com a vida tumultuada do próprio Mickey Rourke, que, de um dos talentos mais brilhantes de Hollywood, chegou a tornar-se alvo de piadas de comediantes. Rourke pareceu estar emocionado quando relatou seus anos de turbulência numa entrevista coletiva após a premiação. "Perdi a confiança de todo o mundo. Havia algumas coisas que eu tinha que mudar. Não agi como profissional", disse ele, segurando seu troféu Bafta em uma mão e uma garrafa de champanha aberta na outra. "Depois de 13 anos de terapia, depois de perder tudo, precisei juntar os pedaços outra vez para encarar a mudança de me tornar responsável", disse ele. "Estou feliz com a mudança."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.