Michael Moore quer o Oscar de melhor filme

Michael Moore disse que não apresentará Fahrenheit 11/9 como candidato a um Oscar na categoria de melhor documentário. Ao invés disso, tentará levar o prêmio maior: de melhor filme. A aclamada obra de Moore, que classifica a guerra contra o terrorismo do presidente George W. Bush como equivocada e corrupta, animou os democratas, mas enfureceu os partidários do presidente, que vaiaram o cineasta durante a convenção nacional do Partido Republicano na semana passada em Nova York. "Na verdade, para mim, o verdadeiro Oscar seria a derrota de Bush em 2 de novembro", disse Moore durante uma entrevista telefônica à Associated Press. O documentário, cuja realização custou US$ 6 milhões, se converteu numa sensação de público, arrecadando US$ 117,3 milhões no verão dos Estados Unidos. Em meio à campanha presidencial, o anúncio de Moore é um movimento estratégico em sua própria campanha para o Oscar. Moore disse que ele e seu co-produtor, Harvey Weinstein, concordaram que Fahrenheit 11/9 teria maiores chances se focasse unicamente em conseguir a indicação para melhor filme. Também disse que quer "apoiar meus companheiros documentaristas", sem fazê-los competir com sua obra de tanto sucesso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.