Mario Anzuoni/REUTERS
Mario Anzuoni/REUTERS

Michael Douglas diverte-se no papel de mocinho em 'Homem-Formiga'

Depois de viver personagens com moral questionável, ator se destaca como um cientista do bem no novo filme da Marvel

Piya Sinha-Roy, Los Angeles/Reuters

13 Julho 2015 | 18h58

De Atração Fatal e Wall Street até o recente filme Beyond the Reach, o ator Michael Douglas nunca se intimidou em interpretar personagens com moral questionável. Mas, ao entrar no que chama de “entardecer” de sua carreira, ele agora quer ser herói.

No mais recente filme da Marvel, Homem-Formiga, que estreia na quinta-feira, 16, Douglas interpreta o cientista Hank Pym, personagem que desenvolve uma tecnologia capaz de encolher seu usuário e torná-lo um super-herói do tamanho de um inseto. O ator, de 70 anos, contou o que lhe atraiu no filme da Marvel e o que ele faria se fosse um Homem-Formiga de verdade.

O que te fez aceitar o papel em um filme da Marvel?

Você ou qualquer um neste mundo não gostaria de conseguir entrar em um desses filmes se pudesse? Quero dizer, todos dizem "isso vai me estereotipar ou me marcar". Eu não tenho que me preocupar com isso. Eu vim para o mundo da Marvel no entardecer da minha carreira. Então, para mim, isso foi uma alegria e um agrado fazer algo que nunca fiz, com o tipo de efeitos especiais que esses filmes têm, de interpretar um mocinho, um cara heroico, alguém que meus filhos possam admirar.

Hank Pym é um cara bom, mas ele é um sujeito complexo.

Você sabe que o velho Mike gosta de complexidades. Eu sempre gostei de personagens que possuem um pouco de mistura, um pouco de escuridão para seguir seu caminho.

O que o 'Homem-Formiga' consegue fazer que outros super-heróis já não tenham explorado?

Provavelmente mais do senso de humor visto em certo grau em Guardiões da Galáxia. Todo o conceito de ficar pequeno e ver os efeitos especiais do olhar de uma formiga, eu acho que isso realmente vai surpreender muita gente.

Quais temas o filme consegue explorar em relação ao mundo e à audiência de hoje?

Eu diria relacionamento dos pais com os filhos, os embates desse relacionamento e certamente a dualidade bem contra o mal. As pessoas sempre me perguntam, "se você pudesse ser o Homem-Formiga, qual a primeira coisa que você faria?" Para mim, seria eliminar armas nucleares. Seria meu primeiro objetivo.

É um grande objetivo considerando...

Sim, que eu sou uma formiga muito pequena.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.