Miami pressiona Grammy para excluir cubanos

Autoridades de Miami anunciaram hoje que não apoiarão a edição 2003 do Grammy latino se a organização insistir em convidar artistas cubanos para a festa, que acontece em 3 de setembro. Por sua vez, os organizadores responderam que não vão excluir os cubanos da cerimônia e que os preparativos continuam.A decisão da prefeitura de Miami foi explicada como forma de indicar "ao governo de Fidel Castro que os abusos contra os direitos humanos não são tolerados". No entanto, o anúncio teve, acima de tudo, caráter simbólico. É que o Grammy latino não havia pedido apoio financeiro nenhum à cidade. O único serviço solicitado foi o de segurança - policiais e bombeiros -, que, por sinal, foi atendido.Há dois anos, o Grammy latino foi instituído em Miami. Por pressão da comunidade anticastrista na Flórida, mudou-se para Los Angeles. Agora na costa leste do país, o Grammy testa os ânimos acirrados da forte oposição a Fidel na Flórida.

Agencia Estado,

09 de maio de 2003 | 15h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.