Mesmo depois de editado, censura chinesa veta filme

Segundo autoridades, as cenas eróticas contidas no filme estão disponíveis na internet e no DVD original

Efe,

08 de janeiro de 2004 | 09h11

Mesmo depois da produção e diretoria concordar com a edição que tirou todas as cenas eróticas, autoridades chinesas retiraram das telas o filme Perdidos em Pequim (Ping Guo), informou hoje o jornal Novo Diário de Pequim.   A estréia mundial do último filme da cineasta Li Yu foi em fevereiro de 2007, no Festival Internacional de Cinema de Berlim. Mas, na China, o filme só entrou em cartaz no dia 27 de novembro.   A Administração Geral de Cinema, Rádio e Televisão (SARFT, sigla em inglês) argumentou que as cenas censuradas estão aparecendo na internet. Além disso, a versão integral circula em formato de DVD no país.   Segundo a SARFT, Perdidos em Pequim foi exibido em Berlim sem sua autorização e em sua versão completa. Por isso, o órgão exige que a diretora Li Yu, o produtor Fang Li e os atores peçam desculpas publicamente.   O filme, que sofreu muitos cortes para passar pela censura chinesa, conta a história de uma relação amorosa entre uma jovem massagista (a diva Fang Bingbing), seu marido (Tong Dawei), seu chefe (Tony Leung Ka Fai, que em 1992 estrelou O Amante), e a mulher dele (Elaine Jin).   Segundo o produtor Fang, foram eliminadas todas as cenas de sexo, de ruas sujas, de pessoas fazendo apostas, imagens da bandeira nacional e da Praça da Paz Celestial.   A SARFT determinou que todos os cinemas do país devolvam o filme num período de 15 dias. A produtora será proibida de voltar a filmar durante os próximos dois anos.

Tudo o que sabemos sobre:
CensuraChinaCinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.