Grant Pollard/AP
Grant Pollard/AP

Meryl Streep e Cher já salvaram mulher de assalto nas ruas de Nova York

Atriz fez discurso emocionante sobre o caso durante premiação nos EUA

O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2017 | 19h04

Meryl Streep, de 68 anos, fez um discurso emocionante durante o 27º Prêmio Internacional de Liberdade de Imprensa do Comitê de Proteção aos Jornalistas, realizado em Nova York na última quarta-feira, 15. A atriz afirmou que precisou lidar com dois incidentes desagradáveis de violência contra as mulheres.

O primeiro deles aconteceu ao lado da amiga e cantora Cher. Em um passeio pelas ruas de Nova York, ela defendeu uma mulher que estava sendo atacada por um desconhecido. "Fiquei completamente maluca. Comecei a gritar e correr atrás dele. O homem simplesmente fugiu, para a minha sorte, claro. Ele poderia ter me matado, claro", disse ela.

+++ Aos 68 anos, Meryl Streep celebra carreira premiada

No segundo caso relatado por Meryl, a artista revelou que, quando ainda não era famosa, foi espancada por um grupo de homens e precisou se fingir de morta para conseguir sobreviver. "Eu tive que me fingir de morta até os golpes pararem, eles estavam me atacando de todos os jeitos possíveis. As pessoas dizem que quando esse tipo de coisa acontece você sai do seu corpo e observa tudo do alto. É verdade", contou ela.

+++ Meryl Streep condena Harvey Weinstein, acusado de assédio sexual: 'injustificável'

Polêmica com Dustin Hoffman. Em uma entrevista dada à revista Times, em 1979, a atriz Meryl Streep acusou Dustin Hoffman de assédio no dia em que se conheceram. Por conta das novas denúncias contra o artista, a matéria voltou à tona nesta semana.

+++ Em 1979, Meryl Streep acusou Dustin Hoffman de assédio

"Ele veio até mim e disse: 'Eu sou Dustin (arrotou) Hoffman' e colocou a mão dele no meu seio. Mas que porco desagradável, eu pensei", contou à publicação à época. Naquele ano, os dois contracenaram no longa Kramer vs Kramer, que recebeu uma série de premiações no Oscar.

Em outra entrevista, que foi para a biografia de Streep, ela relatou uma série de brigas com Hoffman em outros momentos da carreira artística dos dois.

No entanto, após a repercussão dessa entrevista à revista, um dos assessores da atriz afirmou ao site E!News que "Dustin se desculpou pela ofensa e Meryl aceitou suas desculpas".

A matéria surge em um momento que uma série de denúncias contra produtores, diretores e atores de Hollywood começaram a surgir em massa nos Estados Unidos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.