Meryl Streep diz que mulheres podem governar o mundo

A atriz norte-americana Meryl Streep acredita que "as mulheres estão muito bem preparadas para governar o mundo" e, para ela, caso isso aconteça haverá mais paz porque as mulheres não gostam que matem os seus filhos. "As únicas mulheres que têm problemas são as que se comportam como homens", afirmou a atriz ao jornal "The Times".Ao longo da entrevista, Meryl Streep diz que quer fazer algo que valha mais a pena do que simplesmente atuar. "Cada vez que penso que (atuar) é uma forma estúpida de passar a vida, vejo algum outro artista encenando e penso que eu mesma não poderia viver sem esta arte", diz.Em seu próximo filme, "A Prairie Home Companion", de Robert Altman, Meryl interpreta uma cantora de folk e mãe solteira. "Foi muito divertido cantar. Em casa não me deixam, porque os filhos não agüentam", queixou-se.Recentemente, a atriz, que em breve poderá ser vista nas telonas do Brasil em "O Diabo Veste Prada" participou da peça "Mãe Coragem", de Bertolt Brecht, em um teatro do Central Park de Nova York, e atualmente trabalha com Robert de Niro em "First Man", comédia em que faz o papel de presidente dos Estados Unidos.Meryl Streep, que estreou no cinema em 1978 com o filme "O Caçador", fez história no cinema mundial com trabalhos como "Kramer vs. Kramer", "A Escolha de Sofia", "As Pontes de Madison County" e "As Horas"."Gosto de estar ocupada e, apesar de me queixar, trabalhar me encanta. Às vezes me pergunto quem vai querer me ver em outro filme", conclui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.