Arquivo AE
Arquivo AE

Mel Gibson quita dívida com a Justiça americana

Ator foi detido e levado à Justiça por dirigir embriagado em 2006, juiz decidiu dar por encerrado o processo

EFE

07 de outubro de 2009 | 18h12

O ator americano Mel Gibson, que em 2006 foi detido e levado à Justiça por dirigir embriagado, voltou hoje a ser um cidadão respeitável, já que o juiz do caso decidiu dar por encerrado o processo do também diretor.

 

A decisão, fruto de um pedido do advogado de Gibson, de 54 anos, foi tomada depois que o artista, uma das figuras mais famosas de Hollywood, cumpriu satisfatoriamente parte dos três anos de liberdade condicional à que tinha sido condenado.

 

Por causa do incidente em que se envolveu há três anos, Gibson também havia sido sentenciado a pagar uma multa de aproximadamente US$ 1.600 e a participar de sessões de reabilitação nos Alcoólicos

Anônimos.

 

Graças ao bom comportamento, o ator cumpriu apenas 17 dos 36 meses de liberdade condicional. O restante desta pena foi suspenso em fevereiro de 2008. Mas, na ocasião em que anunciou esta decisão,

o juiz do caso, Lawrence Mira, disse que Gibson teria que dar continuidade a seu tratamento contra o alcoolismo.

 

O protagonista de " Coração Valente", foi formalmente acusado em 2 de agosto de 2006.

 

Segundo a Polícia, quando Gibson foi detido, nas redondezas de Malibu, tinha uma elevada concentração de álcool no sangue. O diretor também carregava uma garrafa de tequila e dirigia seu Lexus LS a mais de 160 km/h.

 

A situação piorou quando Gibson destratou os policiais, se declarou dono de Malibu e disse que os judeus eram culpados por "todas as guerras do mundo".

 

Depois, o ator admitiu o erro e duas vezes se desculpou publicamente pelo ocorrido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.