Mel Gibson é acusado de catolicismo radical

Mel Gibson já está em uma blitz na mídiaamericana para contra-atacar uma reportagem que ainda nem foipublicada pelo jornal New York Times. Na edição do próximodomingo da revista encartada no jornal, o repórter ChristopherNoxon escreve que o ator é parte de um grupo tradicional decatólicos "que seguem as doutrinas de um conselho papal doséculo 16, são místicos, monarquistas, conservadores e acreditamem teorias de conspiração". Os membros desta congregação desdenham do Concílio Vaticano II, entre 1962 e 1965. Para eles, missas ainda têm de ser feitasem latim, jejum é obrigatório nas sextas-feiras e mulheres têmde usar chapéus na igreja. O repórter escreveu a história porqueseu pai mora ao lado da Igreja da Sagrada Família, que o atorconstruiu perto de Malibu, na Califórnia. Gibson recusou um pedido de entrevista, mas Noxon conseguiufalar com o pai do ator, Hutton Gibson, de 85 anos, que mora emum subúrbio de Houston, no Texas. Ele é um crítico incansável doVaticano nos últimos 30 anos e escreveu livros como O Papa ÉCatólico?. Ele publica quinzenalmente uma newsletter chamadaA Guerra É Agora. O Gibson-pai diz na entrevista que o Concílio Vaticano II foi"um complô maçônico patrocinado pelos judeus", chamou o papaJoão Paulo II de "seguidor do Alcorão" e negou a existência doHolocausto. "Pergunte a qualquer agente funerário oufuncionário de crematório quanto tempo leva para se livrar de umcorpo. Um litro de gasolina e 20 minutos. E 6 milhões?" O ator nunca expressou as mesmas opiniões, mas o jornalistaacha que seu novo filme, The Passion, sobre as últimas 12horas na vida de Jesus Cristo, vai reavivar a idéia medieval deque foram os judeus que mataram o filho de Deus. O filme,estrelado por Jim Caviezel, é todo em latim e aramaico, semlegendas. Há rumores de que a fita, que custou US$ 25 milhõessaídos do próprio bolso do ator, é muito violenta. Gibson foi ao programa do ultraconservador apresentador de TVBill O´Reilly, da Foxnews, para dizer que um jornalista do NewYork Times estava fazendo uma matéria "contra" ele, em quetinha "cavado" sua vida particular, investigado suas contasbancárias e "ameaçado" sua família.

Agencia Estado,

06 de março de 2003 | 13h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.