Massaini Neto ganha causa contra distribuidores de seu filme

Aníbal Massaini obtém na Justiça o direito de suspender os direitos de distribuição do filme Pelé Eterno. Segundo comunicado divulgado nesta quinta-feira, o Tribunal de Justiça de São Paulo aprovou a rescisão do contrato com a Universal Pictures International e United International Pictures e estabeleceu multa de R$ 2 milhões pelas exibições irregulares no Canal + ocorridas em 14 e 15 de agosto na França. A razão da disputa judicial foi que, depois de não obter a prestação de contas necessárias das majors americanas pela exibição do filme na DirecTV, em junho de 2005, Massaini foi pego de surpresa ao saber que os dois canais franceses de televisão, Canal + e Canal + Sports, veicularam o filme de forma não autorizada, o que acabou prejudicando todo o planejamento de lançamento de Pelé Eterno nos cinemas da França. A decisão foi proferida pelos desembargadores Dr. Walter Zeni, Dr. Francisco Occhiuto Júnior e Dr. Walter César Exner da 32.ª Câmara de Direito do Tribunal de Justiça de São Paulo, que mantiveram por unanimidade a decisão de 11 de agosto último, do Juiz da 19.ª Vara Cível Dr. Clóvis Ricardo de Toledo Junior.Segundo o comunicado, ainda deverão ser julgadas outras infrações do contrato de distribuição mundial do filme, que podem elevar o ressarcimento para mais de R$ 10 milhões ao diretor Aníbal Massaini Neto e ao protagonista Edson Arantes do Nascimento - Pelé.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.