Mary-Kate Olsen deixa clínica após tratamento

Mary-Kate Olsen foi liberada na noite de sexta-feira da clínica onde esteve internada por seis semanas para tratar-se de uma desordem alimentar, disse hoje o assessor dela e de sua irmã gêmea, Ashley. As irmãs Olsen podem ser vistas nos cinemas brasileiros, estrelando o filme No Pique de Nova York. "Ela está se sentindo muito bem e ansiosa para se juntar à família e aos amigos e se preparar para o começo de suas aulas na Universidade de Nova York", disse Michael Pagnotta em uma declaração. O assessor não especificou qual era o problema de saúde da atriz, mas a revista US Weekly disse que Mary-Kate sofria de anorexia. Pagnotta deixou claro que ela estava internada por vontade própria e que poderia ter voltado para casa quando quisesse. De fato, Mary-Kate saiu várias vezes da clínica para ficar com a irmã e com amigos. Algumas revistas de fofoca americanas especularam mais ainda sobre as causas da internação da Olsen morena, insinuando que ela teria problemas com drogas. Mas a assessoria das irmãs negou enfaticamente a possibilidade. "Mary-Kate não foi internada por causa de drogas e ponto final."As duas irmãs, que ficaram populares na televisão com a série Full House, em que se revezavam no papel de Michelle, têm uma fortuna avaliada em US$ 300 milhões, que conseguiram como atrizes e empresárias. As gêmeas Olsen possuem uma marca própria que vende produtos com sua imagem, que vão desde DVDs a roupas. Em 13 de junho, quando fizeram 18 anos, elas tornaram-se co-presidentes de sua empresa, a Dualstar Entertainment Group.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.