Marie Trintignant é transferida para a França

A atriz francesa Marie Trintignant, que está em coma após ter sido espancada na Lituânia, foi transferida para a França. A Justiça lituana determinou que a detenção de Bertrand Cantat, roqueiro francês de 39 anos e namorado da atriz, se extenda de 48 horas para 14 dias. O avião que levará Marie a seu país saiu da Lituânia por volta do meio-dia. Na corte em que foi decidido um período maior de detenção para Bertrand Cantat, o roqueiro praticamente admitiu ter causado os danos físicos que levaram Marie Trintignant ao coma. Com a voz embargada, Cantat se dirigiu ao juiz dizendo se tratar de um acidente, não de um crime. E pediu desculpas: "Peço perdão a Nadine", disse ele em referência à mãe da atriz em coma. A mãe de Marie estava na Lituânia para dirigir um telefilme com sua filha no elenco. Ela foi ao tribunal que deteve Cantat por mais tempo. "Ódio é um sentimento negativo, mas não posso evitar de senti-lo depois das atrocidades que Cantat fez com minha filha", disse ela em francês. Nadine Trintigant também acusou Cantat de ter agredido outras mulheres antes. Cantat chegou ao tribunal da cidade de Vilnius pálido, desarrumado, com a barba por fazer, olhos baixos e a cabeça caindo para a frente. A advogada lituana de Cantat, Virginijus Papirtis, disse ao jornal francês Le Monde que seu cliente não chamou a ambulância após bater em Marie porque achou que ela estivesse apenas dormindo. Na verdade, já estava em coma. Segundo os médicos que atenderam a atriz, ela entrou em coma pelo menos duas horas antes de receber socorro. A mãe da atriz acha que, se Cantat a tivesse levado ao hospital após espancá-la, Marie teria mais chances de sobreviver. A prisão em que Cantat está detido foi construída em 1870 sob as regras do Czarismo. É mal-equipada e superlotada. Marie Trintignant já passou por duas cirurgias. A última delas não teve sucesso na tentativa de aliviar a pressão sobre o cérebro causada por uma hemorragia. O cirurgião francês Stephane Delajoux, que participou da segunda operação, disse que praticamente não há chances de a atriz sobreviver.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.