Divulgação
Divulgação

Márcio Melhem e Leandro Hassum formam boa dupla em 'Os Caras de Pau'

Filme faz sucesso em salas de todo o País

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

30 Dezembro 2014 | 19h00

Pense em grandes duplas, e não apenas de comediantes. O Gordo e o Magro, Jerry Lewis e Dean Martin, sim, mas também Spencer Tracy e Katharine Hepburn, Marcello Mastroianni e Sophia Loren, Paul Newman e Robert Redford. O que faz a dupla é a tensão interna. Em geral, temperamentos opostos - mas tem de haver harmonia. Pode parecer delírio pensar em Os Caras de Pau nesses termos, mas Leandro Hassum e Márcio Melhem formam uma grande dupla. É o filme mais engraçado de Hassum, que nos últimos anos se firmou com Ingrid Guimarães, Fábio Porchat e Paulo Gustavo no time de humoristas recordistas de público do cinema brasileiro.

Careteiro, Hassum não agrada a todo mundo. Os que o seguem sabem que ama Jerry Lewis, Jim Carrey e os Trapalhões. Os Caras de Pau é seu infantil, mescla de Trapalhões com Abbot e Costello. Hassum divide a cena com Marcius Melhem, que fez a redação final dos Caras de Pau na TV e Tá no Ar com Marcelo Adnet. É ótimo. Veja o quadro Galinha Preta Pintadinha no YouTube para confirmar. Melhem é um ator/autor que escreve pensando na dupla. Hassumpode continuar a ser a atração para o público, mas a dinâmica é outra. Um faz o gordo, o outro, o magro. Um, o burro, o outro, o lírico. Na escrita e na filmagem, Melhem e o diretor Felipe Joffily podem não ser os mais originais, mas são competentes.

 

Não por acaso, Os Caras de Pau fez 450 mil espectadores no fim de semana, mais de 800 por sala. Cinéfilos, crianças de ontem, vão se lembrar da cena clássica da animação da Disney - A Dama e o Vagabundo - em que o casal de cães degusta o prato de espaguete. O fio da massa, sugado de um lado e outro, leva ao beijo. A imagem conhecida ainda funciona em versão live action. Hassum e Melhem sempre quiseram trazer Os Caras de Pau para o cinema. Encontraram sua história - o misterioso roubo do anel. Como seguranças, Pedrão e Jorginho são contratados para proteger joia rara, mas ela é roubada por ninjas. Tornam-se suspeitos. O diretor do museu em que o anel estava exposto e o delegado responsável pela investigação os perseguem. Formam a outra dupla cômica da história. Um come muito, o outro não come nada. A metáfora de comer potencializa cenas engraçadas. Reviravoltas mudam o foco. Com trejeitos de Jerry Lewis e a mesma (in)eficiência com que o Inspetor Clouseau velava pelo diamante A Pantera Cor de Rosa, Hassum & Melhem fazem humor verbal e visual. Adultos e crianças, cada grupo poderá desfrutar o filme a seu modo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.