Maradona vira estrela no festival de Cannes

No longa de Emir Kusturica, ex-jogador argentino diz que sente muita culpa pelo vício por cocaína

Flávia Guerra, enviada especial,

08 de maio de 2020 | 10h44

"Eu sempre me pergunto que jogador eu teria sido se não tivesse me viciado em cocaína. Eu teria sido muito melhor". Eu sinto muita culpa por isso". Esta é só uma das pequenas grandes constatações que Diego Armando Maradona faz para as câmeras do diretor Emir Kusturica.   Veja também: Acompanhe a cobertura no blog do Merten   Teste seus conhecimentos sobre o Festival de Cannes    Depois de Harrison Ford, Angelina Jolie, Penelope Cruz, Mike Tyson, agora é a vez de Maradona, o célebre jogador de futebol argentino provocar alvoroço na Croisette com a exibição de Maradona By Kusturica. Um documentário apaixonante e apaixonado sobre o mito Maradona.   O filme é tudo, menos um documentário sobre futebol. Fruto de dois anos de trabalho de Kusturica, que é apaixonado por Maradona e futebol, o documentário que passa fora da competição pela Palma de ouro, no 61.º  Festival de Cannes, a vida de grandes esportistas sempre rendeu bom material para cineastas.   No caso de Maradona, não só sua vida, mas suas idéias são adrenalina pura diante do olhar atento de cineasta, que tem tradição em fazer filmes políticos. Kusturica já ganhou duas Palmas de Ouro, com Quando Papai Saiu em Viagem de Negócios e Underground, Mentiras de Guerra.

Tudo o que sabemos sobre:
Festival de Cannes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.