REUTERS/Olivia Harris
REUTERS/Olivia Harris

Malala vai produzir dramas, comédias e documentários para a Apple

'Espero que através de mim, mais jovens e meninas assistam a esses programas, se inspirem', disse a vencedora do Prêmio Nobel da Paz

Roselle Chen, Reuters

08 de março de 2021 | 18h39

NOVA YORK - A vencedora do Prêmio Nobel da Paz Malala Yousafzai está expandindo sua parceria com a Apple para produzir dramas, séries infantis, animação e documentários que vão ao ar no serviço de streaming da gigante da tecnologia, ambas anunciaram nesta segunda-feira. 

Malala, de 23 anos, e sua nova produtora Extracurricular se juntam à crescente lista de criadores de conteúdo da Apple TV+, incluindo Oprah Winfrey, Steven Spielberg, Will Smith, Octavia Spencer e Jennifer Aniston, disse a fabricante do iPhone em um post em seu site no Dia Internacional da Mulher.

"Espero que, por meio dessa parceria, eu consiga trazer novas vozes a esta plataforma, a este estágio", disse Malala à Reuters em entrevista. "Espero que através de mim, mais jovens e meninas assistam a esses programas, se inspirem."



A Apple produziu um documentário sobre Malala em 2015 e se associou ao seu Fundo Malala em 2018 para promover o ensino médio para meninas em todo o mundo.

Em 2009, aos 12 anos, Malala escreveu em seu blog com um pseudônimo para a BBC sobre viver sob o domínio do Talibã do Paquistão. Em 2012, ela sobreviveu a um tiro na cabeça de um atirador do Talibã por fazer campanha contra as tentativas do regime de negar a educação das mulheres.

Em 2014, ela se tornou a mais jovem ganhadora do Prêmio Nobel da Paz aos 17 anos. Em 2018, ela lançou a Assembly, uma publicação digital para meninas e mulheres jovens disponível no Apple News. Ela se formou na Universidade de Oxford em junho.

"Eu acredito em contar histórias porque isso tem feito parte da minha vida, foi a minha história que inspirou tantas pessoas ao redor do mundo a perceber que nem todas as meninas têm acesso à educação", disse.


 


No 110º aniversário do Dia Internacional da Mulher, Malala disse que as mulheres de todo o mundo deveriam fazer uma pausa para apreciar tudo o que conquistaram.

"Quero que toda menina e mulher tenha orgulho de si mesma, de tudo o que conquistou em sua vida", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.