Madonna congestiona a Berlinale ao falar à imprensa

Estrela deixa sem resposta a grande pergunta da platéia de jornalistas: por que decidiu dirigir um filme?

EFE,

08 Fevereiro 2013 | 16h07

Madonna deixou a Berlinale totalmente congestionada nesta quarta, 13, com sua estréia como diretora do filme Filth and Wisdom (Imundície e Sabedoria), e provocou uma enxurrada de mídia como nunca se viu no Festival de Berlim, que passa agora por sua 58.ª edição.   Afinal, a pop star deixou sem resposta a grande pergunta da platéia de jornalistas: por que decidiu dirigir um filme?   "Não, essa pergunta é muito provocativa", disse ela, quando sugeriram que seria arriscado para uma cantora de tanto sucesso começar a dirigir filmes.   Reação semelhante teve a cantora diante de outras perguntas. "Sempre gostei dos trabalhos pouco convencionais", foi a única afirmação que se obteve da estrela, após muitas tentativas da imprensa.   "Estou aqui unicamente como diretora de cinema", disse, ao responder a uma pergunta de como se sentia na Berlinale. Um festival rendido hoje completamente à diva do pop, apesar de seu filme ter sido exibido fora da competição.   Madonna compareceu com uma hora de atraso diante da imprensa, ao lado de Eugene Hutz, que no filme representa um imigrante ucraniano dotado de múltiplas idéias para sua sobrevivência. Ao lado deles estavam também as duas atrizes principais, Vicky McClure e Holly Weston, esta última com o aspecto de uma segunda Madonna, loira e estática, mas alguns anos mais jovem.    

Mais conteúdo sobre:
madonna berlinale

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.