Lula admite ter errado ao tentar criar Ancinav e CNJ

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu que o governo pode mesmo ter errado ao tentar criar, há dois anos, a Agência Nacional de Cinema e Audiovisual (Ancinav), durante cerimônia de assinatura do projeto de lei que cria o Fundo Setorial do Audiovisual (FNA). Na mesma época, o governo tentou aprovar a criação do Conselho Nacional de Jornalismo (CNJ). As duas iniciativas foram consideradas, na época, tentativas de intervenção do governo na criação cinematográfica e na publicação de reportagens, tanto por parte de cineastas quanto pela Associação Nacional de Jornais (ANJ). Depois da ampla reação, e da certeza do governo de que as propostas seriam rejeitadas pelo Congresso, o Palácio do Planalto desistiu da idéia de aprovar os projetos para os dois setores. "Vocês sabem que já apanhamos muito, já tentamos fazer coisas que não foram muito compreendidas ou, quem sabe, não estavam de acordo mesmo", disse Lula. "E o Gil (Gilberto Gil, ministro da Cultura) sabe quantas chibatadas nós tomamos", disse Lula. "Agora construímos um projeto que cria um fundo que pode dar ao audiovisual brasileiro a sustentabilidade definitiva para que a gente tenha uma indústria mais forte, mais competitiva, aproveitando a criatividade do povo brasileiro", afirmou ainda o presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.