EFE
EFE

'Love & Mercy', a história oculta dos Beach Boys, chega aos cinemas dos EUA

Banda de Brian Wilson liderou as paradas de sucesso dos anos 60

EFE, O Estado de S. Paulo

08 Julho 2015 | 14h48

MADRI - Com praias douradas, verão e surfe, os Beach Boys lideraram as paradas de sucesso dos anos 60 com a visão do sonho americano, mas a banda californiana, e principalmente o líder Brian Wilson, carregam uma história oculta que agora chega aos cinemas americanos no filme Love & Mercy.

Por um lado há um pai manipulador e músico frustrado, uma mãe ausente e o sucesso repentino da banda formada pelos irmãos Brian, Dennis e Carl. Por outro, a criatividade de Brian, nem sempre compreendida por seus companheiros de grupo e muito menos pelo pai, que só pensava em dinheiro rápido.

Além disso, há a tenebrosidade extrema do doutor Eugene Landy, terapeuta que afastou Brian Wilson de sua família e amigos, e quase destruiu sua carreira a base de medicamentos e abusos psicológicos. Tudo mudou quando o músico conheceu Melinda Ledbetter, uma doce e astuta vendedora de carros que se tornaria sua esposa.

Bill Pohlad - produtor de obras como 12 Anos de Escravidão e A Árvore da Vida - será o diretor deste filme, que conta com a colaboração do casal Wilson e Ledbetter e uma história muito pouco conhecida, até mesmo pelos fãs da banda.

A narração é feita paralelamente em dois eixos: os anos 60, com Paul Dano na pele do jovem e promissor Wilson, e a década de 80, com John Cusack em seu rosto mais castigado.

A atriz, produtora e diretora Elizabeth Banks assume o papel de Ledbetter no longa-metragem e Paul Giamatti aterroriza como o perverso Landy.

Love & Mercy não decepciona os amantes da música dos Beach Boys ao retratar a evolução vivida pelo grupo quando Wilson, em pleno auge, em 1966, decidiu abandonar a turnê para se trancar no estúdio e experimentar novos sons.

O resultado foi "Pet Sounds", um trabalho muito mais reflexivo e complexo, com harmonias rebuscadas e o uso de instrumentos não convencionais. Esse é considerado um dos álbuns mais influentes da música pop, com faixas marcantes como God only knows e Wouldn't it be nice, mas precisou superar muitas ressalvas internas, principalmente pela fria recepção comercial.

O filme também conta o encontro de Melinda com um Brian já maduro e derrotado, sua história de amor, e como ela descobre as manobras de Landy. Tanto Wilson como Ledbetter participaram ativamente na produção do filme, desde a concessão de direitos até o contato direto com os atores.

"Minhas cenas favoritas são as filmadas no estúdio de gravação. Elas me trouxeram maravilhosas lembranças daquele trabalho com grandes músicos como Hal Blaine e The Wrecking Crew", disse o músico, segundo os comunicados da produção do filme.

Para Paul Dano, que interpreta os anos mais brilhantes do músico, a melhor maneira de pesquisar sobre ele foi através de seu trabalho.

"Me apaixonei totalmente por ele, é uma pessoa maravilhosa. É incrível como alguém pode ter tantos problemas e ao mesmo tempo ser tão aberto ao mundo por meio da música, sentir tanta beleza e tanta dor ao mesmo tempo, foi muito emocionante", analisou.

Love & Mercy chegará aos cinemas dos Estados Unidos a partir desta semana. O filme estreou na última edição do Festival de Toronto e já percorreu outros cinemas internacionais como Berlim e Buenos Aires.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.