Longa de Marcelo Taranto estréia no Rio

O thriller A Hora Marcada , de Marcelo Taranto, estréia nesta sexta-feira na Première Brasil, do Festival do Rio BR, concorrendo ao prêmio de ficção. Traz a história de um banqueiro angustiado diante da morte. E o seu fim pode vir por vários caminhos, pelas mãos de muitos dos personagens que rondam o seu meio social. É o primeiro longa-metragem de Taranto, reunindo no elenco muitos rostos conhecidos da TV, como Gracindo Jr., Osmar Prado, Fábio Assunção, Esther Góes e Beth Goulart.Taranto levou mais de dois anos para finalizar o longa que ele define como "uma relação incestuosa entre o poder e a morte". Para o diretor, a morte é o limite do poder, no filme, simbolizado pelo rico e inescrupuloso Mário Velasquez, personagem de Gracindo Jr.O diferencial do filme é certamente o elenco. E Taranto conta que o escolheu a dedo, "até porque eu adoro fazer casting", diz o diretor. Ainda que a princípio a história e os atores pareçam saídos de uma novela, ele diz ser o teatro sua fonte de trabalho. "Só no teatro eu compreendi a concepção da direção". Taranto transpôs as técnicas teatrais, a leitura, a construção do personagem, laboratório e ensaio, para o cinema. E fez questão de ensaiar os atores fora do set de filmagem. "Eles ficam de certa forma incomodados com a presença da câmera". Além das figuras tarimbadas do teatro e da TV, A Hora Marcada traz o ator Fábio Assunção no seu primeiro papel de bandido.O mundo da alta sociedade retratado pelo filme não tem uma temporalidade definida. O homem rico, a mulher rica e triste, os amigos traiçoeiros e invejosos, os subalternos são personagens que sempre povoaram o imaginário do cinema. Por isso, o diretor acha que fez um filme que terá fácil aceitação e empatia com o público. "Não quis fazer nada hermético, mas achar um equilíbrio entre o complexo e o superficial", ele explica. A distribuição de A Hora Marcada deve ser acertada com a empresa UIP e a estréia em grande circuito, prevista para fevereiro de 2001.Ele não se assusta com a idéia de lançar o filme numa sexta-feira 13: "As bruxas existem, mas é um bom trabalho, então elas hão de me ajudar", brinca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.