Longa brasileiro "Árido Movie" é exibido em Veneza

O público seguiu o filme com interesse, mas aplaudiu moderadamente Árido Movie, novo longa de Lírio Ferreira (Baile Perfumado), que estreou no Festival de Veneza com casa apenas pela metade. Trata-se de público especial, composto pela crítica internacional, que assiste às prévias na sala Palagalileo.Hoje, o longa será exibido para o público pagante, na Sala Grande, a principal do evento. A história principal é a de um jovem apresentador de TV, Jonas (Guilherme Weber), que precisa voltar à cidadezinha do sertão onde nasceu para o enterro do pai, que foi assassinado. Com magnífica fotografia de Murilo Salles, o filme trabalha a oposição entre cidade e sertão, a questão indígena, a falta de água, o misticismo exasperado, a dominação exercida pelos donos da terra, etc. e tal. O foco ótimo, a sensação de perda de identidade do "estrangeiro" Jonas numa terra que não é a sua, entra tarde demais, fazendo com que o filme oscile entre o brilhantismo com a prolixidade de outros. Formalmente, é excelente. Confirma a mão do cineasta. Faltaram síntese e foco - qualidades que sobravam em Baile Perfumado, primeiro longa do diretor. Veremos a partir de amanhã como reage a crítica internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.