Longa animado 'Persépolis' é banido das salas libanesas

Obra da franco-iraniana Marjane Satrapi é taxada de antiislâmica e antiiraniana pelo governo do Irã

Ansa,

08 de março de 2027 | 11h39

O desenho animado Persépolis, longa-metragem franco-iraniano, candidato ao Oscar de melhor filme de animação deste ano e vencedor do prêmio do júri no Festival de Cannes 2007, não será projetado nas salas de cinema do Líbano. A obra teve boa repercussão no Ocidente, mas foi taxada de antiislâmica e antiiraniana pelo governo do Irã.  Veja também:Trailer de 'Persépolis'   A decisão de não permitir a entrada do filme no circuito libanês veio do departamento de censura da Segurança Geral do Líbano, uma agência dirigida pelo general Wafiq Jizzini, considerado um homem próximo do movimento xiita Hezbollah.  Alguns jornais de Beirute publicaram nesta quinta-feira, 27, a notícia, destacando que os dirigentes do órgão não quiseram fornecer nenhuma explicação pela proibição da obra.  Persépolis se baseia nos quadrinhos homônimos em branco e preto idealizados e desenhados pela cartunista franco-iraniana Marjane Satrapi. Uma jovem garota iraniana é obrigada a deixar o Irã, sob a repressão do regime do xá Mohamad Reza Pahlevi, mas também da campanha de prisões e execuções que seguiram à criação da República Islâmica, em 1979, pelo aiatolá Khomeini.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.