Locarno assiste à saga dos sem-terra

O último assentamento dos Sem Terra é aqui em Locarno, onde dois cineastas italianos mostram o documentário em vídeo com título em português, Sem Terra, feito no Brasil, enxertado com entrevistas de líderes do MST, militantes da Igreja católica como frei Beto e cenas do massacre de Carajás. O documentário teve sua realização facilitada com o apoio do cineasta brasileiro Paulo Cesar Saraceni, que fala em nome "dos sem tela, pois 98% da distribuição dos filmes no Brasil está na mão dos americanos e o cinema brasileiro não tem mais onde projetar seus filmes".Roberto Torelli, um dos realizadores com Pasquale Scimeca, é conhecido documentarista italiano, cujo último trabalho Bella Ciao, comparando as manifestações anti-globalização em Gênova com a resistência italiana, foi censurado e proibido pela televisão italiana RAI, agora sob controle do governo de Sílvio Berlusconi. Os cineastas Roberto Torelli e Pasquale Scimeca estiveram no ano passado, no Forum Social Mundial de Porto Alegre, quando documentaram as primeiras cenas, inclusive a da ocupação da fazenda Monsanto e da sua plantação de cereais transgênicos.O vídeo destaca a importância do apoio da ala progressista católica ao movimento, num sincretismo de São Francisco de Assis, Santa Clara, Che Guevara e Mao, mostrando que a religião pode ter um papel importante no combate à miséria no Brasil. Enfim, o documentário mostra os resultados positivos do MST, obtidos num dos assentamentos no Rio Grande do Sul - numa grande área antes improdutiva, onde hoje vivem duas mil famílias, com produtos agrícolas e criação de gado de corte e leiteiro. O documentário tem Chico Buarque e Milton Nascimento no fundo musical.

Agencia Estado,

08 de agosto de 2002 | 11h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.