Locarno aplaude vídeo brasileiro

Recebido com aplausos no Festival de Locarno, Morte Densa, de Kiko Goifman e Jurandir Muller teve reprise na manhã desta quinta-feira. O filme é o único brasileiro na competição de vídeo do festival, que conta com outros 20 filmes na disputa. Kiko afirma que a seleção de seu filme para competir pelo prêmio pegou de surpresa. "Estar aqui já é um prêmio", diz ele.Morte Densa é um documentário em que oito assassinos de primeira viagem são entrevistados pelos diretores. "Esse projeto nasceu de uma certa inquietação que eu e o Jurandir tínhamos com relação ao excesso de filmes do tipo serial killer, nos quais a morte era mostrada sem que o autor discutisse os crimes e o significado da morte. Hollywood tem muito sangue e pouca explicação", diz Kiko Goifman.O processo de produção foi cheio de percalços. Falar com assassinos que só mataram uma vez sobre o homicídio que os levou a perder a liberdade é algo difícil. "Procuramos primeiro pessoas clássicas dentro dessa situação, como o Doca Street, mas não quiseram nos dar depoimentos mostrando seus rostos. Nao queríamos ninguém com rosto escondido. O depoimento de uma mulher que participou do assassinato do pai mostra ela dizendo com certo prazer que conseguiu pegar todos os agravantes contra sua mãe, da qual queria tirar a culpa. Foi uma morte cometida por excesso de paixão. Era, portanto, importante ver o rosto e os gestos das pessoas", explica o diretor. Morte Densa ainda não tem exibição programada no Brasil.América Latina - Kiko Goifman teve o apoio decisivo de outro brasileiro em Locarno. Paulo Roberto de Carvalho não esta exatamente sob os holofotes. Sua atuação é nos bastidores, coordenando a pré-seleção de filmes latino-americanos no festival suíço. Graças a ele, Locarno está vendo este ano filmes de dez cineastas argentinos e outros dez cubanos, filmografias pouco exibidas na Europa. Seu maior desejo era ter um filme mexicano competindo no evento, mas isso não foi possível. Um feito talvez mais interessante ele conseguiu: levou a Locarno o primeiro filme boliviano em 20 anos. Mas Dependência Sexual foi mal recebido pelo público e é considerado o pior filme do festival.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.