Locarno abre caminho para "33"

Exibido com destaque no Festival Internacional de Cinema de Locarno - primeiro festival no qual se inscreveu - na competição vídeo, o filme 33, de Kiko Goifman, será exibido em seguida no Festival de Documentários de Amsterdã, na Holanda. Locarno praticamente abriu o caminho internacional para Goifman, cujo filme lhe permitiu resolver a curiosidade de filho adotivo: descobrir sua mãe natural. Embora o filme não revele o resultado final da pesquisa no cabalístico número de 33 dias, e Goifman mantenha uma certa reserva, o mistério foi totalmente desvendado. Agora, talvez valesse a pena uma nova investigação, para conhecer e contar exatamente como era sua mãe.Goifman soube mesmo ter nascido no dia 5 de agosto, data da primeira exibição do seu filme-vídeo em Locarno, pelo que mereceu do público um afetuoso "Happy Birthday to You". Quanto a uma busca do pai biológico, questão proposta por um espectador em Locarno, isso nunca despertou no cineasta a mesma inquietação, segundo confessou o próprio Goifman.Kiko Goifman fala sobre a entrada de 33 no festival - "Foi graças ao Paulo Roberto de Carvalho (diretor do Festival alemão de Tuebinguen e representante do Festival de Locarno na América Latina), que viemos a Locarno. O filme mal tinha acabado, no início de junho, quando o inscrevemos e entrou para a competição oficial de vídeo". "Fiquei meio reticiente por ser na competição vídeo, quando eu pensava em transformá-lo em filme, mas aqui há o destaque da mostra, com uma premiação importante, até o espaço em exibição, a alta qualidade dos concorrentes e a exigência de ser um trabalho com mais de 50 minutos. Na verdade, são longas-metragens em outro tipo de suporte".Goifman espera participar de outros festivais, inclusive no Brasil, não mais como vídeo mas filme em 35mm e, em lugar de ser projetado nos cinemas por um tempo determinado, vai procurar exibições durante osfins-de-semana em cinemas e horários diversos.O novo projeto de Kiko Goifman é o documentário Morte Densa, em parceria com Jurandir Mueller, seu sócio na produtora Paleotv, com pessoas que cometeram assassinato uma vez na vida. Será em Beta digital e super 16mm.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.