'Linha de Passe' é 2o em Festival de Havana; filme chileno vence

O filme chileno "Tony Manero" ganhou o principal prêmio do Festival de Cinema de Havana e o segundo prêmio foi para o brasileiro "Linha de Passe", informaram os organizadores nesta sexta-feira. "Linha de Passe", dos diretores Walter Salles e Daniela Thomas, de "Central do Brasil" e "Diários de Motocicleta", é ambientado na periferia de São Paulo e tem cinco personagens centrais: uma mãe e quatro filhos que buscam melhorar de vida. Todos têm de tocar a bola sem deixar que ela escapa de seu controle. "Tony Manero" conta a história de um "serial killer" obcecado pelo personagem do ator John Travolta no filme "Nos embalos de sábado a noite". A trama se passa durante a ditadura de Augusto Pinochet. O filme de Pablo Larraín é "uma metáfora da violência, da ditadura e dos ideais políticos da oposição", disse a agência estatal de notícias Prensa Latina ao anunciar o prêmio. "El Cuerno de la Abundancia", do cubano Juan Carlos Tabío, um dos diretores de "Fresa y Chocolate", ganhou o terceiro prêmio. O prêmio especial do júri foi para o filme "Leonera", do argentino Pablo Trapero, enquanto "Parque vía", do mexicano Enrique Rivero, levou o prêmio de melhor Obra-Prima. O brasileiro "Mutum", de Sandra Kogut, ganhou o segundo prêmio e o uruguaio "Acné", de Federico Veiroj, levou o terceiro na categoria Obra-Prima. A atriz brasileira Sandra Corveloni e o chileno Alfredo Castro conquistaram os prêmios de melhor atuação feminina e masculina por "Linha de Passe" e "Tony Manero", respectivamente. Sandra também foi premiada em Cannes pelo filme. O destaque do festival foi a exibição do longa do diretor norte-americano Steven Soderbergh sobre o guerrilheiro argentino Ernesto "Che" Guevara, um herói nacional em Cuba. O ator Benício del Toro, que interpreta Che, apresentou no final de semana passado em Havana o filme em duas partes. O filme não fez parte da competição do festival, que contou com 114 filmes concorrentes entre os dias 2 e 12 de dezembro. (Reportagem de Nelson Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.