Lindsay Lohan pilota o novo "Herbie"

Há 35 anos, surgiu na Disney uma franquia que se tornou muito popular, Se o Meu Fusca Falasse. Na trama do primeiro filme, um rapaz comprava fusca simpático que piscava o olho para ele na loja. O fusca revelava possuir uma personalidade forte. A partir daí, Herbie, o fusca, virou personagem cult. Apareceu em três seqüências e teve direito a um remake, para TV, em 1997. Herbie agora está de volta ao cinema.É uma opção divertida para a garotada em férias. E o melhor é que a Globo mostra hoje, na Sessão da Tarde, o velho filme de Stevenson em que tudo começou. Você pode, portanto, comparar as duas versões. A nova tem direção de Angela Robinson, que chegou a ter aulas especiais de automobilismo como preparação para as cenas de Herbie no circuito da Nascar. Uma mulher na direção é uma novidade desse Herbie. Uma atriz fazendo a parceira do fusquinha é outra (no original, era Dean Jones). A história continua ingênua, nada complicada, mas as cenas de humor (e as corridas) são eficientes e os efeitos ficaram mais espetaculares. O próprio Herbie continua despertando a empatia do público. Em plena era da comunicação a toda velocidade, Herbie reaparece turbinado - ou fully loaded, para usar um jargão moderninho que o público da internet conhece. O turbinado Herbie não corre mais no circuito de Monte Carlo, mas no outro, muito mais avançado, da Nascar - que representa hoje a competição mais excitante dos EUA. A diretora explica - Herbie sai-se bem na arena da Nascar porque é um completo azarão e quem quer que conheça o circuito sabe que parte do entusiasmo despertado pela Nascar deve-se ao fato de que qualquer um pode sair do pelotão (ou do anonimato...) e vencer. O remake tem pique e visual diferentes da versão antiga. O elenco ajuda, especialmente Lindsay Lohan. A garota é a aposta da Disney para o papel da adolescente dos anos 2000. Ela já interpretou o terror Uma Sexta-Feira muito Louca, que também era uma refilmagem, no caso de Um Dia muito Louco, fazendo o papel que foi de Jodie Foster na primeira versão.

Agencia Estado,

15 de julho de 2005 | 12h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.