Lindsay Lohan e Eddie Murphy lideram o Framboesa de Ouro

Atores receberam ao todo sete indicações individuais no prêmio concedido aos piores atores e produções

Da BBC Brasil, BBC

08 Janeiro 2021 | 19h40

Os atores americanos Lindsay Lohan e Eddie Murphy lideram neste ano a disputa do prêmio Framboesa de Ouro em número de indicações, anunciadas nesta segunda-feira em Los Angeles. O prêmio, também conhecido como Razzie, é concedido anualmente aos piores atores e produções de Hollywood, como um antípoda do Oscar. Murphy, estrela de 48 Horas, recebeu cinco indicações pelo seu trabalho no filme Norbit, em que interpreta três personagens diferentes. Ele foi indicado a pior ator, pior ator coadjuvante, pior atriz coadjuvante, pior contribuição ao roteiro e por pior casal em cena. Norbit conta a história de um homem que, prestes a se casar com uma mulher feia, conhece a mulher de sua vida e passa a tentar se livrar de sua noiva. Segundo o jornal Los Angeles Times, a indicação ao Framboesa de Ouro foi uma reviravolta na carreira de Murphy que, no ano passado, foi indicado ao Oscar por sua participação no longa Dreamgirls - Em Busca de Um Sonho. Piores filmes Já Lindsay Lohan, que ganhou fama ao fazer filmes para o público adolescente como Meninas Malvadas, recebeu duas indicações pelo filme Eu Sei Quem Me Matou: pior atriz e pior casal. No filme, como Eddie Murphy, Lohan também abusa de seu talento e interpreta dois personagens. Em Eu Sei Quem Me Matou, a atriz interpreta uma stripper e seu alter ego, uma menina do interior seqüestrada por um psicopata. Norbit" e " Eu Sei Quem Me Matou também integram a lista de indicados para pior filme de Hollywood do ano, juntamente com Bratz - O Filme, Daddy Day Camp e Eu os Declaro Marido e... Larry. O prêmio Framboesa de Ouro será entregue no dia 23 de fevereiro, um dia antes da entrega do Oscar, em Los Angeles.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.