Lindsay Lohan é condenada a 90 dias de prisão

Lindsay Lohan é condenada a 90 dias de prisão

Atriz de 'Meninas Malvadas' também terá de passar por programa de 90 dias sobre abuso de drogas

06 Julho 2010 | 20h33

BEVERLY HILLS (EUA) (AP) - Lindsay Lohan foi sentenciada a 90 dias de prisão por violar os termos de sua liberdade condicional, ao dirigir embriagada em 2007. Lindsay começou a chorar depois que a juíza Marsha Revel da Corte Superior divulgou a sentença.

 

A atriz terá de se entregar às autoridades em 20 de julho e depois de sair da prisão terá que ingressar como interna em um programa de reabilitação. Segundo a juíza Marsha Revel, Lindsay não cumpriu o programa de aulas de reeducação sobre o álcool, o que caracterizou violação de sua liberdade condicional.

 

A estrela dos filmes "Sexta-Feira Muito Louca" e "Meninas Malvadas", de 24 anos, também terá de passar por um novo programa de 90 dias sobre abuso de drogas, indicou a juíza.

 

Lohan faltou a uma audiência de revisão de sua condicional, em maio, alegando ter tido seu passaporte roubado enquanto participava do festival de cinema de Cannes. Desde então ela teve de utilizar uma pulseira no tornozelo para que as autoridades supervisionassem o nível de álcool em seu sangue.

 

Semanas depois, a pulseira enviou um alerta durante a festa de entrega dos prêmios MTV Movie Awards. Os policiais consideraram que se tratava de uma violação "relacionada com álcool". Lindsay negou pelo Twitter que tivesse bebido.

 

Em 2007, Lindsay foi presa por dirigir sob o efeito de álcool e cocaína e passou 84 minutos na prisão e como parte de sua sentença, recebeu liberdade condicional de três anos. A condicional foi ampliada por mais um ano em outubro passado, depois de Lohan ter faltado a algumas aulas de educação para combate ao alcoolismo. A audiência desta terça teve relação com este incidente específico.

 

A atriz estava acompanhada por sua advogada, sua irmã e seu pai, Michael Lohan.

 

 

 

 

Mais conteúdo sobre:
Lindsay Lohan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.