Danny Moloshok/ Reuters
Danny Moloshok/ Reuters

Latinos são 'esquecidos' em Hollywood, diz pesquisa

Dados apontam que, dos 100 filmes de grande bilheteria lançados a cada ano, entre 2007 e 2018, somente 3% traziam atores latinos em papéis principais ou coadjuvantes. 

Laura M. Holson / NYT, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2019 | 16h03

Apesar das tentativas de Hollywood nos últimos anos para ser mais inclusivo, os latinos continuam sub-representados na frente e por trás das câmeras, segundo um novo estudo, divulgado pela Annenberg Inclusion Initiative, da Universidade do sul da Califórnia. Os dados apontam que, dos 100 filmes de grande bilheteria lançados a cada ano, entre 2007 e 2018, somente 3% traziam atores latinos em papéis principais ou coadjuvantes. 

Produtores e executivos de elenco latinos também estão pouco representados, constituindo somente 3%. E os diretores latinos também são raros: apenas 4% dos filmes tiveram um diretor latino durante o período de 12 anos. Ao todo, somente 4,5% dos 47.268 dos papéis com falas analisados pelos pesquisadores foram para atores latinos.

A pesquisa foi realizada em parceria com a Wise Entertainment e a National Association of Latino Independent Producers que promove o trabalho de criadores de conteúdo latinos. “A comunidade latina não tem sido priorizada e é imperativo que coloquemos foco nessa realidade flagrante da representação latina no cinema”, afirmou em comunicado o diretor executivo da associação, Benjamin Lopes.

Os resultados, disse o estudo, não refletem o número de hispânicos vivendo e trabalhando nos Estados Unidos. De acordo com o Census Bureau dos EUA, os hispânicos formam uma comunidade de 59,9 milhões de pessoas, ou 18% da população do país. Segundo a agência de recenseamento, em 2045, um em cada quatro americanos será hispânico.

Um ponto positivo é que, dos 3% de atores latinos em papéis principais ou coadjuvante, metade foram mulheres. Entre elas, estão Cameron Diaz, Jennifer Lopez e Jessica Alba. Mas mesmo esses números são desequilibrados: cinco dos 17 papéis importantes oferecidos a atrizes latinas foram para Cameron Diaz. E Jennifer Lopez foi a única atriz latina com mais de 45 anos a assumir o papel principal em um filme.

Às vezes, também, personagens latinos acabam aparecendo de modo estereotipado e infundado. Quase um quarto dos papéis falados os retrata como criminosos. “Numa época em que os latinos em nosso país estão bastante preocupados com a sua segurança, necessitamos urgentemente que a comunidade latina esteja representada de maneira autêntica e precisa no setor de entretenimento”, declarou Stacy Smith, diretor da Annenberg Inclusion Initiative, em comunicado. 

O mercado de filmes nos EUA com personagens latinos está amplamente inexplorado. Estudo realizado em 2018 pela Motion Picture Association of America indicou que o público latino e hispânico registrou seu mais alto índice de idas ao cinema naquele ano, uma média de 4,7 vezes por temporada. Um ano antes, Viva: A Vida É uma Festa, animação da Pixar que narrava a história de um menino mexicano que encontra seus ancestrais, foi um dos maiores sucessos daquele ano, conquistando um Oscar e contabilizando uma bilheteria em todo o mundo de US$ 807 milhões, segundo o BoxOfficeMojo.com. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

 

Tudo o que sabemos sobre:
Hollywoodcinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.