Warner Bros.
Warner Bros.

'Kong: A Ilha da Caveira' arrecada US$ 61 mi na estreia e chega ao topo das bilheterias nos EUA

O longa pode se gabar por ter superado as expectativas, mas ainda não está fora de perigo; a produção custou US$ 185 milhões

Brent Lang, Reuters

12 Março 2017 | 23h05

LOS ANGELES - "Kong: A Ilha da Caveira" saiu vitorioso após uma batalha de feras que opôs o filme do gorila gigante contra o último momento de Wolverine. Conquistando uma onda de boas resenhas, "Kong: A Ilha da Caveira" chegou ao topo das bilheterias dos Estados Unidos, obtendo poderosos 61 milhões de dólares. O valor superou facilmente as estimativas, que colocavam a estreia do filme entre 45 milhões e 50 milhões de dólares.

O rugido do King Kong não sufocou totalmente a fúria incontrolável de Wolverine. Em seu segundo final de semana, "Logan", da Fox, recuou 58 por cento, para 37,8 milhões de dólares, levando seu total nos Estados a 152,6 milhões de dólares. A aventura dos quadrinhos é a última em que Hugh Jackman interpreta Wolverine, após quase duas décadas vivendo o membro dos X-Men.

"Kong: A Ilha da Caveira" pode se gabar por ter superado as expectativas, mas o filme ainda não está fora de perigo. A produção custou 185 milhões de dólares, o que significa que precisa ser um sucesso no exterior se os estúdio por trás do filme, Legendary e Warner Bros, quiserem obter algum lucro. Nos Estados Unidos, "Kong: A Ilha da Caveira" também enfrentará "A Bela e a Fera", da Disney, que deve estrear obtendo 120 milhões de dólares na semana que vem.

Isso provavelmente sugará a maior parte do oxigênio nos complexos de cinema, dificultando o acesso das multidões aos outros filmes.

Legendary e Warner Bros têm grandes ambições para King Kong. O filme é o segundo do que promete ser uma franquia sobre monstros. O primeiro capítulo, "Godzilla", lançado em 2014, estreou com 93,2 milhões de dólares nos Estados Unidos antes de atingir 529,1 milhões de dólares globalmente. O plano é que King Kong e Godzilla se encontrem em um confronto final de criaturas primordiais em algum momento de um futuro não tão distante.

As vendas de ingressos aumentaram quase 25% ante o mesmo final de semana em 2016 – um período que se sobrepôs com a segunda semana de "Zootopia" e a estreia de Rua Cloverfield, 10. As receitas estão aproximadamente 2% maiores neste ano até o momento, com uma combinação de "Logan", "A Ilha das Crianças" e, agora, "Kong: A Ilha da Caveira" se traduzindo em um período movimentado nas bilheterias. A semana que vem traz o lançamento de "A Bela e a Fera", o que deve ampliar a liderança de 2017.

"Este pode ser o maior março da história", disse o analista de mídia sênior da ComScore, Paul Dergarabedian. "Você não precisa mais esperar até maio para lançar sucessos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.