Kevin Kline vive o genial Cole Porter no cinema

De-Lovely - Vida e Amores de Cole Porter, que estréia hoje, refaz a vida do compositor americano Cole Porter como se fosse um dos musicais de fato escritos por ele, idéia que não deixa de ser interessante.Um Porter envelhecido assiste aos ensaios do musical de sua vida ao lado de um estranho, Gabe (Jonathan Pryce). O que ele, e os espectadores, vêem no palco é o jovem aristocrata, vivido por Kevin Kline, sua passagem pelos salões europeus, e seu relacionamento de uma vida toda com Linda Lee (Ashley Judd). Viveram formalmente como marido e mulher, apesar de Porter ser homossexual, e nunca ter escondido isso. Mas De-Lovely, apesar de alguns bons momentos, fica aquém do personagem. A estratégia de transformar uma biografia em espetáculo musical funciona até certo ponto, em especial quando o biografado é um músico, e mais ainda, um músico da dimensão de Porter. Como se trata de um espetáculo às vezes encenado, pode exibir ao público a extraordinária variedade (e qualidade) das canções de Porter. E assim podemos ouvir standards magníficos como It´s De-Lovely, na voz de Robbie Williams, Let´s Misbehave, com Elvis Costello, a clássica Night and Day, com John Barrowman, Just One of Those Things, com Diana Krall, e Love for Sale, com Vivian Green. Além de You´re the Top, com o próprio Porter, em gravação antiga.

Agencia Estado,

07 de janeiro de 2005 | 12h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.