Kaufman desafia o convencional com o filme 'Synecdoche'

Em Cannes, diretor diz que gosta de títulos mais difíceis 'porque as pessoas reagem de forma mais intuitiva'

Bob Tourtellotte, da Reuters,

08 de maio de 2023 | 16h43

Synecdoche, New York é o título de filme mais difícil de se pronunciar nesta edição do Festival de Cannes, e é justamente isto que o roteirista e agora diretor Charlie Kaufman quer.  Veja também:Acompanhe a cobertura no blog do Merten   Teste seus conhecimentos sobre o Festival de Cannes 'Il Divo', uma coreografia dos bastidores da política italiana Madonna e Sharon Stone fazem leilão beneficente em CannesPalma de Ouro pode ir para Eastwood, Ari Folman ou Garrone "Eu gosto de títulos que são um pouco mais difíceis porque as pessoas reagem de forma mais intuitiva", disse Kaufman nesta sexta-feira, 23, em sua estréia em Cannes. O título desafia convencionais produções. Estúdios e donos de teatro descobriram em mais de 100 anos de cinema que é mais fácil atrair o público com títulos mais fáceis. Contudo, Kaufman, de 49 anos, é conhecido por quebrar as barreiras desse tipo de mito e é altamente bem-sucedido por isso. O diretor escreveu Being John Malkovich, sobre um homem que é capaz de viver dentro da mente do famoso ator Malkovich, e Adaptation, em que um escritor de nome Charlie Kaufman adapta um livro para um filme. Kaufman também é conhecido por dar nomes incomuns para seus filmes. Ele escreveu o romance Eternal Sunshine of the Spotless Mind. "Aquele título era muito difícil de se lembrar. E não pude lembrar por um bom tempo.", disse. "Então, há pouco tempo eu lembrei, e todo parece saber agora". Aquele filme, que contava com Jim Carrey e Kate Winslet no elenco, fez Kaufman levar o Oscar de Melhor Roteiro. Portanto, ele talvez saiba uma ou duas coisas sobre títulos.  Ele também pode dirigir? Synecdoche talvez prove para o público se Kaufman sabe também dirigir um filme. Seus últimos roteiros foram transformados em filmes pelos diretores Michel Gondry e Spike Jonze.  Na produção, o ganhador do Oscar por Capote Philip Seymour Hoffman interpreta um melancólico diretor de teatro, Caden Cotard, cuja carreira decola depois dele dirigir a peça de Arthur Miller Death of a Salesman, em uma pequena produção em Schenectady. Mas apesar do sucesso na carreira, a vida pessoal de Caden está desmoronando. Sua esposa o abandona e leva sua filha para Berlim para seguir uma vida de artista. Caden também se encontra aflito por inúmeras doenças físicas. Com o passar dos anos, Caden se envolve em duas relações amorosas sérias e está constantemente consciente da possibilidade de sua própria morte. O roteirista convertido em diretor disse que evitou contar histórias que facilmente se acomodaram dentro dos gêneros, como comédias românticas, suspenses ou ação e aventuras. "Não escrevo coisas de gênero em nenhuma de suas formas. Não estou interessado nisto. O que sempre trato de fazer é o contrário, é tentar não me encaixar em uma forma pré-determinada", disse Kaufman. Com esse tipo de filosofia, é mais fácil entender por que Synecdoche tem um título difícil de pronunciar. Mas, existe algo a mais que une as histórias de Kaufman com seus títulos: uma vez assistidas, é difícil deixar de pensar nelas.

Tudo o que sabemos sobre:
Kaufmanfestival de Cannes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.