Justiça proíbe venda de vídeo sexual de Farrell

O ator irlandês Colin Farrell conseguiu uma medida cautelar contra a ex-namorada que teria tentado vender na internet uma gravação de relações sexuais do casal.Um juiz americano proibiu temporariamente que Nicole Narain venda, mostre ou distribua o vídeo de 15 minutos.O ator, de 29 anos, está processando Narain por danos morais alegando que ela entrou em contato com a mídia a respeito da gravação e trabalhou com uma empresa que lida com pornografia na internet.A próxima audiência na Justiça deve ocorrer no dia 10 de agosto em Los Angeles, Estados Unidos.Farrell, de 29 anos, disse que ele e a ex-modelo da revista Playboy, Nicole Narain, de 31 anos, gravaram a fita há dois anos e meio.O ator alega que os dois fizeram um acordo verbal, antes, declarando que a gravação era "particular e confidencial".Farrell também vai entrar com pedido para um mandado judicial que proíba a venda e a distribuição da gravação.O processo foi iniciado na Suprema Corte de Los Angeles na segunda-feira e também acusa Paul Nash, proprietário da Internet Commerce Group - uma companhia que lida com pornografia na internet.Segundo o processo, a tentativa "escandalosa dos acusados de lucrar com a celebridade de Colin Farrell supera todos os limites da decência humana".Os advogados do ator alegaram que a gravação vai comprometer de forma irreparável a reputação e a carreira de Farrell.O ator irlandês já estrelou Alexandre, de Oliver Stone, e Minority Report - A Nova Lei, do diretor Steven Spielberg.Colin Farrel deve voltar aos cinemas no próximo filme do diretor Terence Malick, o épico histórico The New World.

Agencia Estado,

20 de julho de 2005 | 11h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.