Justiça libera paródia de "E o Vento Levou"

Um tribunal dos Estados Unidos reverteu hoje a liminar que havia proibido a publicação de um livro que conta a história de E o Vento Levou do ponto de vista de um escravo. Os herdeiros do clássico escrito por Margareth Mitchell em 1936 acusaram a obra de infração de direitos autorais, mas o Tribunal de Alçada de Atlanta decretou que a proibição do lançamento de The Wind Done Gone (algo como "E o Vento Levou Mesmo"), de Alice Randall, violava a liberdade de expressão. Os representantes dos herdeiros de Mitchell dizem que pretendem apelar, mas a autora garante que o livro chega às lojas em duas ou três semanas. A personagem principal da história é a filha de uma escrava com o dono de uma plantação no estado da Geórgia, que seria irmã de Scarlett O´Hara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.