Justiça indiana autoriza estréia do filme 'Hari Puttar'

Warner pedia a suspensão do lançamento por considerar que nome da obra se parecia muito com 'Harry Potter'

Efe,

08 de setembro de 2022 | 12h13

Um tribunal indiano autorizou nesta segunda-feira, 22, a estréia do filme Hari Puttar, ao rejeitar um recurso do estúdio americano Warner Bros. que pedia a suspensão do lançamento por considerar que o nome da obra cinematográfica se parecia muito com Harry Potter. Os juízes aceitaram o argumento da produtora indiana Mirchi Movies, segundo a qual seu filme se baseia em um roteiro original e seu título significa, tanto em híndi quanto em panjabi, filho de Deus, informaram as agências indianas. "Nosso filme é diferente, não tem nada a ver com nenhum outro. O nome depende apenas do personagem, que se chama Hari. E Puttar significa filho em panjabi", explicou à Agência Efe Jenette Banis, secretária da produtora Mirchi Movies. O filme conta a história do jovem Hari Prasad Dhoonda, um panjabi de 10 anos de idade que emigra com sua família para o Reino Unido após seu pai ser chamado pelo Exército para trabalhar em um projeto secreto. O pai de Hari, o professor Dhoonda, mantém o projeto guardado em sua casa, em um chip confidencial que atrai a atenção de um mafioso e seus capangas. Em uma trama que lembra outro sucesso de Hollywood (Esqueceram de Mim, de 1990), a família sai de férias mas deixa em casa o pequeno Hari, que mostrará sua coragem quando os ladrões tentarem se apoderar do chip do professor Dhoonda.

Tudo o que sabemos sobre:
'Hari Puttar'Harry PotterHollywood

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.