Javier Etxezarreta/EFE
Javier Etxezarreta/EFE

Julia Roberts diz que às vezes precisa deixar seu brilho de estrela de lado

Atriz recebeu prêmio do Festival de Cinema de San Sebastián em reconhecimento à sua carreira

EFE

20 de setembro de 2010 | 17h38

a atriz Julia Roberts foi a sensação do Festival de Cinema de San Sebastián nesta Segunda-feira (20), onde reconheceu que às vezes precisa se afastar de seu brilho de estrela. "Não penso em mim como Julia Roberts", disse em uma entrevista à imprensa, "e isso me ajuda a tomar bem as decisões".

Veja também:

documento Imprensa italiana taxa 'Comer, Rezar, Amar' de kitsch

Ganhadora do Prêmio Donostia 2010 do festival em reconhecimento à sua carreira, Julia sabe que é uma espécie em extinção e, quando perguntada se as estrelas estão se apagando em Hollywood, respondeu que a situação realmente mudou desde que começou. "Antes você podia cultivar sua carreira e alcançar o estrelato passo a passo. Agora você tem que explodir e se manter, algo que me parece impossível e, claro, pouco atrativo".

A atriz acrescentou que se sente feliz todas as horas da sua vida."Pude me dedicar a minha família e as produtoras sempre me receberam bem. E me deixaram levar meus filhos às filmagens", disse.

Para sua última estréia, no filme "Comer, Rezar, Amar", que foi apresentado no festival de San Sebastián, no norte da Espanha, teve que deixar sua família por vários meses para gravar essa viagem espiritual escrita por Elizabeth Gilbert em Bali, Índia e Itália, mas sua família apoiou a decisão. "Estou rodeada de uma equipe muito boa", disse.

Sobre o ator Javier Bardem, com quem contracena, Julia diz que ele gosta de interpretar papéis obscuros e intensos porque assim oculta melhor sua verdadeira maneira de ser: "afetuoso, delicado e encantador".

Esta noite, ambos estarão no palácio Kursaal, sede do festival,para apresentar o filme de Ryan Murphy - criador da bem-sucedida série "Glee", e também para a premiação de Julia. "Gostaria de ter tido mais tempo para preparar um discurso e é difícil ser espontânea em um momento assim", disse.

No futuro, Julia voltará a trabalhar com Murphy, mas destaca também seu interesse em trabalhar com Mike Nichols, que a dirigiu em "Closer - Perto Demais" e "Jogos de Poder" - e com Steven Soderbergh, diretor com quem trabalhou e conquistou um Oscar.

"Soderbergh é o exemplo brilhante de como entrar e sair deste sistema. Se voltasse a me chamar para trabalhar com ele, me sentiria completamente feliz, mas não quero sermuito específica com meus desejos. Prefiro estar aberta a projetos que o destino me reserva", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.