Juiz encerra processo contra Michael Moore

Um juiz federal decidiu hoje encerrar um processo de difamação contra o cineasta Michael Moore, movido por Terry Nichols, irmão do homem que conspirou para o ataque a bomba a Oklahoma City.O juiz distrital Paul D. Borman decidiu que as declarações que Moore fez sobre James Nichols em seu documentário de 2002, Tiros em Columbine, foram "factuais e substancialmente verdadeiros".James Nichols alegava no processo que as declarações poderiam ser mal interpretadas pelos espectadores e ligá-lo ao ataque. Ele também alegou que o filme invadia sua privacidade e provocou desgaste emocional. Borman rejeitou as alegações em um documento de 25 páginas aceitando o pedido de Moore por um julgamento sumário - que ocorre sem ir a júri."A coisa que mais agrada o senhor Moore é que o juiz concordou com nosso argumento de que as declarações não eram falsas e que elas foram corretamente reportadas", disse o advogado de Moore, Herschel P. Fink. O advogado de Nichols não estava disponível para comentar a decisão.Borman disse que Nichols, um fazendeiro do Michigan, é considerado uma figura pública para o processo, porque ele "voluntariamente colocou-se dentro da controvérsia pública em torno do bombardeio", com atitudes como dar entrevistas e ajudar a escrever um livro.Terry Nichols está cumprindo duas sentenças de prisão perpétua sem direito à condicional pela sua participação no ataque de abril de 1995 que matou 168 pessoas na cidade de Oklahoma. Timothy McVeigh foi executado em 2001 por planejar o ataque.A fazenda de James Nichols foi revistada dois dias depois da explosão das bombas, depois que seu irmão e McVeigh foram identificados como suspeitos. James Nichols foi preso naquele dia e detido por 32 dias, quando foi solto por falta de provas. As acusações contra ele foram retiradas depois.McVeigh deu a casa de James Nichols como seu endereço em alguns formulários e disse, quando foi preso, que Nichols era muito próximo a ele.Entre as declarações do filme com as quais James Nichols sentiu-se ofendido estão as que alegam que promotores federais ligaram os irmãos Nichols a McVeigh, que os irmãos faziam "bombas de treino", que os dois foram presos por conexão ao bombardeio, e que os dois foram acusados de conspiração, e de fazerem e possuírem pequenas bombas. Moore é conhecido por documentários como Fahrenheit 11 de Setembro e Roger e Eu. Tiros em Columbine, um crítico olhar sobre a cultura das armas nos Estados Unidos, venceu o Oscar de melhor documentário em 2002.

Agencia Estado,

14 de julho de 2005 | 15h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.