Neil Hall/ Reuters
Neil Hall/ Reuters

Johnny Depp perde recurso em processo contra jornal britânico

No início do mês, o ator foi considerado 'espancador' de sua ex-mulher

Redação, AFP

26 de novembro de 2020 | 10h56

O juiz que rejeitou o processo por difamação movido pelo ator americano Johnny Depp contra o jornal britânico The Sun negou nesta quarta-feira, 25, o recurso do astro de Piratas do Caribe. Depp, porém, pode apelar novamente em instância superior, até o dia 7 de dezembro.

"Neguei ao autor a autorização para apelar", disse o juiz Andrew Nicol. "Não considero que os motivos alegados do recurso tenham uma perspectiva razoável de êxito e não há nenhuma outra razão convincente, portanto o processo deve ser acordado", acrescentou.

O ator tomou a arriscada decisão de atacar por difamação a News Group Newspapers (NGN), editora do jornal britânico The Sun, que o acusou de espancar sua ex-mulher Amber Heard.

A ação, levada ao Tribunal Superior de Londres, tem origem em uma manchete de abril de 2018, na qual o The Sun questionava como a autora britânica J.K. Rowling poderia aceitar um "espancador de mulheres" no filme Animais Fantásticos.

Após semanas de julgamento em julho, que levaram à divulgação de aspectos desconhecidos da vida privada do ator, 57 anos, e de sua ex-mulher, o Tribunal Superior de Londres indeferiu o processo de Depp, observando que os qualificativos do jornal The Sun eram "essencialmente reais", uma vez que "a maioria dos ataques alegados foi comprovada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.