John Cusack é lançado candidato à Casa Branca

Depois de Ronald Reagan, outro ator de Hollywood pode chegar à Casa Branca. John Cusack está em uma campanha presidencial que começou a ser promovida no web site Juction City, uma espécie de tribuna livre para campanhas liberais (direitos da mulher, proteção ao meio ambiente). O ator, que está de férias, ainda não comentou sua "candidatura", mas a imprensa já está atrás do presidenciável. O jornal Los Angeles Times e o web site da BBC são alguns dos órgãos que já avaliaram sua candidatura. A idéia é do Carol/Trevelyan Strategy Group, uma empresa que presta consultoria para os Democratas. Dan Carol e Stuart Trevelyan querem ajudar o partido a arrumar um candidato imbatível para a próxima eleição, em 2004. "Se Ronald Reagan pode ser presidente e Warren Beatty acha que pode, por que não um sujeito como John Cusack?", pergunta Carol em entrevista para o Los Angeles Times. "Nossa idéia é mostrar o apoio das massas e chegar a um ponto em que ele não vai mais poder ignorar a campanha." Cusack é inteligente, "cool" e tem opiniões definidas sobre política (ele já fez várias críticas ao presidente George W. Bush em entrevistas na TV). O ator, que fez aniversário em 28 de junho, está com 35 anos, o que lhe permite ocupar o cargo. A campanha começou há três meses e já recebeu o apoio de muita gente (200 pessoas ofereceram-se para ser cabos eleitorais em várias regiões do país). Se ele não topar, os "cérebros" da campanha tem um plano B: "A gente também gosta muito da irmã dele, Joan". A pedra no sapato do início de sua campanha presidencial é seu trabalho mais recente, Os Queridinhos da América, que recebeu críticas muito negativas da imprensa. O filme, que estréia em 21 de setembro no Brasil, é sobre um recém-separado casal de Hollywood que tem de manter as aparências para promover o filme que fizeram juntos. O problema é que ele apaixona-se pela cunhada, assistente de sua ex-mulher, que também já arrumou outro homem. No elenco, também estão Catherine Zeta-Jones, Julia Roberts e Billy Crystal.

Agencia Estado,

01 de agosto de 2001 | 12h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.