Divulgação
Divulgação

J.K. Rowling anuncia que 'Animais Fantásticos' contará com cinco filmes

Antes, a autora de 'Harry Potter' havia falado em uma trilogia; primeiro longa da nova franquia chega aos cinemas dia 17 de novembro

Rafael Gonzaga, Especial para O Estado

13 Outubro 2016 | 18h41

A escritora britânica J.K. Rowling usou mais uma vez o Twitter para dar uma boa notícia para os fãs de Harry Potter ao redor do mundo. Faltando pouco mais de um mês para a estreia do filme Animais Fantásticos e Onde Habitam, derivado da franquia do bruxinho, a autora da saga revelou que a nova história será dividida em cinco produções cinematográficas. Antes, Rowling havia falado em uma trilogia. 

Em apenas meia hora, o primeiro tweet de Rowling confirmando a quantidade de filmes já acumulava mais de três mil compartilhamentos e o tema liderava os trending topics do Brasil.

 


Estrelado por Eddie Redmayne, a primeira parte da nova odisseia no mundo bruxo será lançado em 17 de novembro deste ano no Brasil. A segunda parte também já tem data prevista e chegará aos cinemais em novembro de 2018. Além de Redmayne, os filmes contam com um elenco de peso que inclui nomes como  Ezra Miller no papel de Credence, Colin Farrell como Percival Graves, e Jon Voight como Sr. Henry Shaw. Quem assina a dirição do longa é David Yates, responsável pelos quatro últimos filmes da franquia Harry Potter.

A trama de Animais Fantásticos e Onde Habitam se passa 70 anos antes dos eventos vividos por Harry e seus amigos. Ambientado na Nova York de 1926, o protagonista Newt Scamandar passa pela cidade para fazer uma escala durante uma viagem e acaba causando muita confusão por conta de uma mala cheia de criaturas misteriosas. A história é adaptada de um livro didático que Harry e os demais alunos da escola de magia Hogwarts usavam na escola - que também acabou sendo publicado na vida real.

A franquia original de Harry Potter arrecadou mais de US$ 7 bilhões em todo o mundo e a expectativa dos fãs com essa nova etapa do mundo mágico é alta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.