'Jimmy's Hall' e 'Quarteto Fantástico' chegam às telonas nesta semana; veja as estreias

Confira os principais destaques do cinema

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

06 de agosto de 2015 | 14h35

Uma semana que tem Ken Loach e Anne Fontaine só pode ser atraente para cinéfilos, mas não se deixe influenciar pelas duras críticas ao novo Quarteto Fantástico. O filme é bem bacana.

Gemma Bovery - A Vida Imita a Arte

O novo longa da diretora francesa Anne Fontaine faz a releitura de Madame Bovary com base num romance inglês contemporâneo, embora Anne tenha garantido ao repórter, durante o Festival Varlux, que estava de olho mesmo é no original de Gustave Flaubert. Sempre fascinada por relações tortas e amores pouco convencionais, ela mostra apaixonados pelas obra do escritor que deixa para Paris e vai para o interior, onde se envolve com casal, e a mulher, Gemma (Atherton) é a própria Emma Bovary.

 

Jimmy's Hall

Ken Loach faz um cinema de resistência, insistindo em histórias e temas na contracorrente do atual mundo globalizado. Jimmy's Hall passa-se na Irlanda, nos anos 1930. Jimmy abre salão de danças que também é ponto de encontro e de discussão de ideias progressistas. A igreja e os grandes proprietários unem-se contra ele. Quem senão Loach, ainda faria em 2015 um filme sobre a luta de classes como motor da História? Pode ser reducionista, mas o mundo poderia se dividir entre os que amam, ou não, o diretor inglês. Com Barry Ward e Simone KIrby.

 

Meia Hora e as Manchetes que Viram Manchete

O documentário de Ângelo Defanti investiga como e por que as manchetes debochadas e irônicas do jornal carioca Meia Hora caíram no gosto de um público popular, que se identifica com a linha editorial da publicação.

 

Ouro, Suor e Lágrimas

Outro documentário, esse é assinado por Helena Sroulevich e aborda o período que vai de 2001 a 2012, durante o qual as seleções nacionais de vôlei tiveram mais vitórias, além de terem feito a preparação para a Olimpíada de 2012. Não deixa de ser um aquecimento para os jogos do Rio, no ano que vem.

Party Girl

O trio de diretores franceses Marie Amachoukeli-Barsacq, Claire Burger e Samuel Theis colecionou prêmios em festivais de todo o mundo por essa ficção inspirada na mãe dele. A grosso modo, e pode parecer vulgar, é a história de uma p... idosa que não se cansou da profissão e quer continuar exercendo. É um mistério - embora muito melhor, Irina Palm, com Marianne Faithful, não fez metade do sucesso desse longa estrelado por Angélique Litzenburger, que repete na tela o próprio papel. Libertária, talentosa, ou simplesmente cara de pau?

 

Quarteto Fantástico

Os puristas têm reclamado do reboot que o diretor Josh Trank fez da franquia da Marvel, mas o filme prova duas coisas - que os blockbusters andam mais criativos que muito cinema de autor, e que algo está se passando no universo das HQs. Como em Os Guardiões da Galáxia e Homem-Formiga, seres bizarros estão se unindo para combater o individualismo exacerbado e salvar o mundo. O tom é sombrio, as relações são trágicas, mas para quem embarca a diversão é garantida.

Que Mal Eu Fiz a Deus?

Fenômeno na França, a comédia de Philippe de Chauveron fez 20 milhões de espectadores somente no pais. O público identificou-se e adotou a história do casal conservador cujas filhas vão se casando com homens de outras culturas e religiões. A esperança de um casamento 'normal' está na última, mas ela apronta mais que as outras. Lógico que o humor é politicamente incorreto.

Real Beleza

(Brasil/2014, 84 min.) - Drama. Dir. Jorge Furtado. Com Vladimir Brichta, Adriana Esteves, Francisco Cuoco. O novo filme de Jorge Furtado ('Mercado de Notícias') tem Vladimir Brichta como João, um fotógrafo decadente que viaja pelo interior gaúcho à procura de modelos em potencial. No meio do processo, conhece uma candidata cuja mãe, Anita (Adriana Esteves), se envolve com ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.