Jim Carrey diz que Prozac não curou sua depressão

O ator Jim Carrey disse ao programa 60 Minutes da emissora norte-americana CBS que ele lida melhor com a depressão agora que está livre do Prozac e do álcool. Em uma entrevista exibida ontem, Carrey disse que tomou Prozac por um longo tempo, mas que a droga não curou sua depressão. "Eu tive que parar em um certo ponto porque eu percebi que estava tudo bem", ele disse ao repórter Steve Kroft, em sua casa em Brentwood.Até mesmo quando tomava Prozac, a depressão não acabava totalmente, ele disse. "Parece com um nível baixo de desespero em que você não consegue as respostas, mas também consegue viver e sorrir no trabalho", ele disse.Carrey disse que ele ainda tem momentos de depressão, mas que agora lida com eles sem Prozac e sem álcool. "Eu raramente bebo café. Sou muito sério quanto a não consumir álcool e drogas. A vida é muito bonita", disse.Na filmografia de Carrey estão sucessos como O Máscara, O Show de Truman. Ele está atualmente em cartaz no filme Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças, em que contracena com Kate Winslet.

Agencia Estado,

22 de novembro de 2004 | 15h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.