Paul Drinkwater/AP
Paul Drinkwater/AP

James Cameron e Peter Jackson criticam serviço premium de cinema em casa

A DirecTV deve começar a oferecer o cinema nesta quinta-feira com a estreia antecipada

EFE,

20 Abril 2011 | 18h00

Cerca de 20 diretores e produtores de Hollywood assinaram uma carta aberta publicada nesta quarta-feira na qual rejeitam o projeto dos estúdios para iniciar um serviço premium de filmes recém-lançados exibidos em casa.

A carta foi promovida pela Associação Nacional de Proprietários de Salas de Cinema dos Estados Unidos (NATO, em inglês) e publicada em seu site em uma tentativa de criar oposição a um novo modelo de negócio que fará com que se distribuam filmes para assistir em casa quando eles ainda estiverem em cartaz.

Entre os que apoiam a NATO estão James Cameron, Guillermo del Toro, Robert Rodríguez, Peter Jackson, Robert Zemeckis, Roland Emmerich, Michael Bay e Kathryn Bigelow.

A companhia DirecTV deve começar a oferecer o cinema premium nesta quinta-feira com a estreia antecipada do filme Esposa de Mentirinha por US$ 29,99 através de seu canal de Video On Demand, com pouco menos de 2 meses da estreia do filme nos cinemas.

Por trás desta estratégia dos estúdios, está a ideia de rentabilizar o hábito dos espectadores impacientes que queiram assistir aos filmes em suas residências, antes do lançamento em DVD.

"Muitos filmes chegarão às casas antes do tempo e isso prejudicará a indústria dos cinemas, por isso que meus filmes estão ameaçados", manifestou Cameron, o diretor com maior bilheteria da história de Hollywood.

Mais conteúdo sobre:
James Cameron Peter Jackson

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.