Ivan Cardoso quer Supla em "O Sarcófago Macabro"

Ivan Cardoso procura Supla para interpretar "sacerdote egípcio" no telefilme O Sarcófago Macabro. Enquanto isto, Hermano Penna, que fez de um telefilme - Sargento Getúlio - um dos grandes momentos do cinema brasileiro, volta à literatura com o road movie Vôo Cego Rumo Sul. Em Brasília, Betse de Paula e Caetano Curi preparam Nana, Miúda e Outros Povos. Trata-se de telefilme de animação, roteirizado por Betse, diretora de O Casamento de Louise e Celeste & Estrela. Durante oito meses, Betse e Caetano comandarão oficina de animação com grupo de jovens desenhistas e ilustradores brasilienses. O processo de seleção já foi desencadeado. Técnicos, atores e animadores experientes também participarão de Nana, Miúda.Além de Ivan Cardoso, Hermano e Betse de Paula, outros sete diretores foram premiados pela Secretaria do Audiovisual/Minc, via Edital B.O. - Telefilmes (Baixo Orçamento). O escritor, roteirista e dramaturgo José Roberto Torero, depois de uma série de curtas de grande talento, chega ao formato longo com Quando Dois Corações se Encontram. Roberto Moreira, diretor do poético O Cão Louco Mário Pedrosa, realizará Deus contra Todos.Marcos Altberg, autor de série de telefilmes sobre o amor em verde-e-rosa (ambientados na Escola de Samba Mangueira), fará Metade Sexo, Metade Mussarela. Emiliano Ribeiro, diretor dos longas As Meninas e Condenados à Liberdade, dirigirá, para a produtora Gávea Filmes, O Apostador. Hilton Kauffman foi selecionado com O Homem Que Falava Javanês; Tony de Souza, com Expresso para Anhangaba, e a produtora Estúdio, Pesquisa e Criação, com O Amigo Invisível.Todos os filmes devem ficar prontos até o fim do ano. Eles serão exibidos pelo Canal Cultura e Arte, mantido pelo Ministério da Cultura. Cada produtora receberá R$ 200 mil da Secretaria do Audiovisual, assim que comprovar a contrapartida (ou seja, outros aportes financeiros). Hermano Penna está entusiasmado com o projeto dos dez telefilmes. "Falo com experiência própria, pois participei de outro projeto que tentou colocar filmes brasileiros na TV." O diretor paulista refere-se ao Programa Especial de Pilotos Para Séries de TV, que a extinta Embrafilme promoveu em 1977. Foram premiadas 18 propostas. Poucas se concretizaram. "Isso aconteceu porque, naquela época, a TV brasileira não queria saber de filmes brasileiros. Nem dispúnhamos de TV a cabo", analisa. "Hoje, tudo mudou. Inclusive o suporte. Com o cinema digital, tornou-se mais fácil e mais barato realizar filmes para TV, que depois podem ser ampliados para exibição nos cinemas."Hermano realizou seu filme mais conhecido (Sargento Getúlio, baseado no romance homônimo de João Ubaldo Ribeiro), em 16 mm, com apenas US$ 85 mil. O projeto integrava a série Melhores Momentos da Literatura Brasileira, da Blimp Filmes. A empresa, de Guga de Oliveira (irmão de Boni), aprovou na Embrafilme, além do telefilme de Hermano, mais duas adaptações: O Encalhe dos 300 (Denoy de Oliveira) e A Hora dos Ruminantes (José de Anchieta). "O projeto dos pilotos naufragou", lembra Hermano. "Nenhuma emissora de TV quis exibi-los. Dos filmes da Blimp, dois ficaram prontos: o meu e o do Denoy." Agora, o realizador paulista fará um road movie inspirado em capítulo do livro Cara, Coroa, Coragem, de Sinval Medina.Em Vôo Cego Rumo Sul, Hermano vai contar a história de quatro militantes políticos, gente de base, como se dizia na época, que foge do golpe de 1964, rumo ao Sul. Eles são surpreendidos pelo triunfo do movimento militar com míseros trocados no bolso e, mesmo assim, decidem enfrentar a estrada, num velho fusquinha. Hermano começa, agora, a selecionar elenco. Precisa, porém, de apoio financeiro, pois o que recebeu do Minc é só parte do custo total. No final do ano, ele entregará cópia em vídeo para a Secretaria do Audiovisual. Aí, transformará o material em filme 35 mm, para exibição nos cinemas.Depois de 11 anos de silêncio forçado (seu último longa, O Escorpião Escarlate, é de 1990), Ivan Cardoso, o criador do terrir (terror + riso) volta a atacar. Agora, com O Sarcófago Macabro, uma seqüência alucinada de O Segredo da Múmia (1982). Depois de avisar que o melhor "filme" de 2001 foi Casa dos Artistas, Ivan externa seu maior desejo: "Adoraria ver Silvio Santos interpretando, em meu telefilme, um chefão da CIA." Se o empresário não topar, Ivan garante que se consolará com a presença do cantor Supla. "Vou convidá-lo para interpretar um sacerdote egípcio."Nazistas e múmias - Ao contrário de Hermano Penna, Ivan Cardoso não pensa em transformar O Sarcófago Macabro em filme para o mercado cinematográfico. "A grana é pouca e eu quero mesmo é fazer uma série televisiva. O segundo episódio já está escrito e intitula-se 007 contra as Mulatas Canibais." Ele prevê mais dois ou três episódios. Para protagonizar o filme, Ivan vai convidar Luiz Fernando Guimarães (de Os Normais) ou Miguel Falabella. "Se um dos dois topar, vai ser maravilhoso. Um deles com Supla, Júlio Medaglia, Felipe Falcão e time de belas ivampiras (vampiras do Ivan) dará o maior e melhor dos telefilmes."A história de O Sarcófago Macabro é mirabolante. Com o fim da URSS, acaba a guerra fria. A CIA de Ronald Reagan assina acordo com a KGB russa, que, por sua vez, abre seus arquivos. O tempo avança e estamos no Pentágono, em pleno governo de Bush (pai). Agentes da CIA remexem arquivos de espionagem da KGB e neles descobrem farta documentação. Inclusive material sobre agentes nazistas que fugiram para a América Latina fantasiados de múmias. É aí que entra o professor Expedito Vitus (o falecido Wilson Grey, que renascerá dos arquivos de O Segredo da Múmia).O herói, Ed Stone (homenagem a Ed Wood & Harry Stone), gay apaixonado por cultos afros, se envolverá com os tais documentos. Oscar Ramos, o cenógrafo preferido de Ivan Cardoso, vai recriar o Pentágono com pouco dinheiro e muita imaginação. Roberto Maia será o narrador da trama, costurando material de arquivo (em especial, imagens inéditas de Wilson Grey, que sobraram "em imensa quantidade" no processo de edição de O Segredo da Múmia).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.