Amr Abdallah Dalsh/Reuters
Amr Abdallah Dalsh/Reuters

Irritados com filme, egípcios escalam muro da embaixada dos EUA

Cerca de 2000 manifestantes rasgaram e queimarem a bandeira norte-americana por insulto a Maomé

TAMIM ELYAN, Reuters

11 de setembro de 2012 | 17h03

CAIRO - Manifestantes egípcios escalaram na terça-feira, 11, o muro da embaixada dos Estados Unidos no Cairo, além de rasgarem e queimarem a bandeira norte-americana, num protesto contra um filme que, segundo eles, irá insultar o profeta Maomé.

No lugar da bandeira dos EUA, os manifestantes tentaram hastear outra com os dizeres: "Não há Deus senão Deus, e Maomé é seu mensageiro".

Quando a bandeira dos EUA foi arriada, alguns manifestantes a rasgaram e mostraram os pedaços a câmeras de TV, e outros queimaram o que restou do pano - embora alguns manifestantes se opusessem à queima.

Muitos muçulmanos consideram ofensiva qualquer obra que retrate o profeta Maomé. "Esse filme deve ser proibido imediatamente, e um pedido de desculpas deve ser feito", disse o manifestante Ismail Mahmoud, pedindo providências ao presidente Mohamed Mursi, um político de origem islâmica.

Os manifestantes, cerca de 2.000, não deram detalhes do filme que os irritou.

Victoria Nuland, porta-voz do Departamento de Estado, confirmou que o muro da embaixada foi violado, e que a bandeira foi retirada. "Estamos obviamente trabalhando com a segurança egípcia para tentar restaurar a ordem na embaixada e trabalhar com ela para tentar colocar a situação sob controle."

A chancelaria egípcia disse estar comprometida em dar toda a proteção necessária às embaixadas.

Tudo o que sabemos sobre:
FILMEEGITOPROTESTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.