Iraniano tenta embarcar para SP na segunda

Conforme se previa, o diretor iraniano Jafar Panahi não conseguiu embarcar para São Paulo, na manhã desta sexta-feira. O vencedor do Leão de Ouro em Veneza 2000 (por O Círculo), não conseguiu obter visto na embaixada brasileira de Teerã. O diretor iraniano, atualmente um dos mais importantes de seu país, vinha a São Paulo para a exibição de seu filme na 24ª Mostra Internacional, e para um fórum de debates sobre o cinema iraniano, que acontecerá dia 27 de outubro. Jafar Panahi e sua mulher chegaram a ser contatados pela organização da Mostra nesta tarde. Eles não haviam recebido nenhum comunicado do Itamaraty referente à regularização do visto - diferentemente do que foi anunciado pelo governo à imprensa. A assessoria de imprensa da Mostra informou ainda que a produtora francesa de seu filme, Hengameh Panahi, conversou com o casal e os convenceu a tentar realizar a viagem, pois, segundo o diretor, o festival brasileiro "luta pelas boas causas como O Círculo".O Círculo crítica a situação das mulheres muçulmanas, que vivem aprisionadas e sob desnecessário autoritarismo no Irã. Apesar do Itamaraty ter desmentido oficialmente que o atraso no visto tenha como causa questões relativas à ética diplomática, Panahi foi bastante perseguido por autoridades iranianas pelo tema do seu último filme.Neste domingo, Panahi e sua mulher devem pedir o visto novamente às autoridades brasileiras. Segundo a organização da Mostra, se houver entendimento o embarque deve ser prorrogado para a próxima segunda (23).Os outros diretores iranianos convidados a vir para São Paulo não tiveram, por enquanto, problemas com visto. São eles Bahman Ghobadi (Tempo de Embebedar Cavalos) e Mauhmaud Behraznia (Close Up Kiarostami). O próprio Pahani Já tinha conseguido vir a São Paulo em 1998, quando foi jurado da Mostra daquele ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.