Sebastian Nogier/EFE
Sebastian Nogier/EFE

Iraniano 'Lerd' vence Un Certain Regard de Cannes

Mexicano 'Las Hijas de Abril' ganha o Prêmio do Júri da seção Un Certain Regard de Cannes

O Estado de S.Paulo

27 Maio 2017 | 16h17

Um filme sobre um iraniano previamente condenado à prisão por seu trabalho no Irã ganhou neste sábado, 27, o prêmio máximo no Un Certain Regard, seção competitiva do Festival de Cannes. 

Lerd - A Man of Integrity, filmado no Irã, é um drama tenso sobre um homem que se recusa a subornar como saída para seus problemas. 

O diretor e roteirista Mohammad Rasoulof foi preso ao lado do aclamado diretor Jafar Panahi, em 2010. 

O filme Las Hijas de Abril (Filhas de Abril), dirigido pelo mexicano Michel Franco e estrelado pela espanhola Emma Suárez, ganhou o Prêmio do Júri no seção Un Certain Regard do Festival de Cannes. 

O diretor, presente em Cannes pela quarta vez e também vencedor nesta seção em 2012 por Depois de Lucia, parte nesta história de regresso de uma mãe ao México para cuidar da filha adolescente grávida. 

A italiana Jasmine Trinca ganhou o prêmio de melhor atriz por sua atuação em Fortunata, de Sergio Castellitto, melhor diretor foi para o americano Taylor Sheridan, por Wind River, e o prêmio Poesia do Cinema foi para o francês Mathieu Amalric, por Barbara

Un Certain Regard é a segunda seção em importância do evento cinematográfico e reúne os filmes mais inovadores e ousados de cineastas habitualmente menos conhecidos ou produções novatos, e para o diretor geral de Cannes, Thierry Frémaux, serve como um contrapeso para a competição oficial. 

O júri foi presidido este ano pela atriz americana uma Thurman, musa filmes Quentin Tarantino, como Pulp Fiction (Palme d'or em 1994) ou Kill Bill. (Com Agências Internacionais)

Os Premiados

Filme: Lerd - Um Homem Íntegro, de Mohammad Rasoulof

Direção: Taylor Sheridan, por Wind River

Poesia do Cinema:  Bárbara, de Mathieu Amalric

Atriz: Jasmine Trinca, por Fortunata

Prêmio do Júri: Las Hijas de Abril, de Michel Franco

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.